Coloração vegetal: tudo que você precisa saber

Esse novo estilo de coloração tem despontado como queridinho nos melhores salões do Brasil especialmente por quem deseja fugir da química na hora de tingir os fios.

Quer tingir o cabelo, mas não gosta da ideia de ter tanta química nos fios? Com a coloração vegetal você não precisa mais se preocupar com esse problema. “A principal característica é a sua composição que conta com corantes provenientes de plantas, como por exemplo a henna”, afirma a cabeleireira Nadja Vasconcelos, do salão Square Hair & Care, em São Paulo. Além da henna, também é comum usar outros corantes provenientes de plantas, como o extrato de nogueira, a camomila e o índigo. Não é à toa que esse processo vem se tornando cada mais mais popular nos melhores salões do Brasil!

Bê-à-bá da coloração vegetal

Segundo Nadja, a coloração vegetal age de forma superficial no fio, formando uma espécie de película sobre a fibra capilar. O seu efeito, entretanto, é acumulativo, ou seja, a nova cor vai se sobrepondo com o passar das aplicações. “É indicada não só para quem quer fugir da química, que pode danificar os fios, mas também para pessoas que têm poucos fios brancos”, acrescenta.

Mas é claro que nem tudo são flores. Apesar de esse tipo de coloração não danificar os fios, já que não penetra para além da cutícula, esse tipo de coloração também não oferece muitas opções de cores e de tonalidades: as nuances quase sempre giram em torno dos avermelhados ou acobreados. “Além disso, costuma ser incompatível com outros procedimentos químicos como alisamentos e descolorações. Você também não obtém a cobertura total dos fios brancos logo na primeira aplicação”, lembra a cabeleireira Penélope Beolchi, do salão Opa! Hair, em São Paulo.

Passo a passo no salão

No salão, o processo da coloração vegetal é relativamente simples. Depois da lavagem normal do cabelo, mistura-se a coloração com água morna. Em seguida, ela é aplicada nos fios, mecha por mecha. Existe a pausa indicada pelo fabricante, enxágue e secagem, como acontece em qualquer outro processo de coloração. “As tinturas vegetais costuma deixar os fios hidratados e brilhantes”, diz Penélope.

Mas e o retoque, você pode se perguntar? Como age apenas superficialmente, já dá para prever que ele vai acontecer com mais regularidade. A cabeleireira de São Paulo recomenda que a manutenção da cor no salão seja realizada pelo menos a cada 20 dias, embora o tempo possa variar bastante de acordo com o tipo do cabelo e o crescimento da raiz.

Mas dá para preservar a cor em casa com os cuidados certos. “São os mesmos dos outros tipos de coloração: muita hidratação e não misturar com outro tipo de química, pois pode haver reação”, alerta a cabeleireira  Nadja Vasconcelos. Ela recomenda ainda que a lavagem seja sempre feita com produtos hidratantes específicos para cabelos coloridos. Vale também complementar os cuidados diários com máscaras nutritivas, que devem ser aplicadas mecha a mecha uma vez por semana.

Sugestão de produtos

Com baixo Ph, Pró-queratina e Lipídeos, o Shampoo TRESemmé Blindagem Platinum e o Condicionador TRESemmé Blindagem Platinum foram pensados exclusivamente para cabelos quimicamente tratados. Complete a etapa de cuidados com um creme de tratamento poderoso, como o Creme de tratamento condicionador Seda Restauração Instantânea.