Penteados simples

Cabelo de bailarina: sobre o coque perfeito e mais

O balé segue inspirando a beleza e moda nas próximas estações. Saiba como conquistar o look.

Elegância é a palavra e o conceito central do cabelo de bailarina. Não é à toa que a figura perfeita de uma bailarina (junto a seus gestos!) são capazes de prender nossa atenção sempre. Na moda e na beleza, o modo como ela combina leveza e força a um só tempo inspira sempre. Cabeleireiros, há décadas e novamente agora, criam penteados inspirados no universo do balé. Veja como conquistar o look.

No balé, o coque é coisa séria. Mais do que um penteado, ele é símbolo do comprometimento e da disciplina da bailarina. O uso dos grampos, do fixador e da rede são parte do ritual diário (sim, diário!) dessas meninas. E o coque bailarina também é funcional. Com todos os fios no lugar, a silhueta fica limpa e a professora é capaz de avaliar melhor os movimentos. Corrigi-los, se preciso.

O público também se beneficia diretamente do cabelo de bailarina preso num coque rígido. Assim, é possível apreciar melhor a coreografia, sem distração. E a própria bailarina não corre o risco de se perder no meio de giros ou saltos, com a franja caindo no rosto. Porém, para se inspirar no cabelo de bailarina não é preciso seguir a tradição à risca. Há adaptações que aliam a graciosidade desse estilo ao despojamento do dia a dia de quem não dança profissionalmente.

Coque bailarina ganha versão bagunçadinha. Cabelo de bailarina inspira a beleza e é tendência
No dia a dia, vale se inspirar no universo do balé, em produções mais relaxadas. | Foto: Indigital.com

Cabelo de bailarina: referências clássicas

No balé clássico, dois coques dominam a cena. O chamado balé de repertório, do início do século XIX, tinha um coque mais baixo, feito com o cabelo partido ao meio e com as orelhas levemente cobertas pelos fios. Tudo penteado e fixado com perfeição, claro. Já o balé clássico que ganhou o século XX e XXI costuma ser mais associado ao coque alto e com o cabelo todo penteado para trás.

No nosso dia a dia, vale usar ambos os coques de modo menos rígido. Associar fios que caem displicentemente nas laterais da face ao coque baixo com risca central deixa o visual mais leve e jovial. E, mesmo assim, ele se mantém elegante. Para atualizar o coque alto com o cabelo para trás, basta ser menos generosa no finalizador. Com menos (ou nenhum!) gel, o cabelo ganha ar mais moderno.

Cabelo de bailarina: toque contemporâneo

As companhias de balé contemporâneo são conhecidas por admitirem bailarinas com variedade maior quanto ao corpo. Altura, peso e idade são mais flexíveis entre elas. E o cabelo de bailarina em grupos contemporâneos também é mais livre. Há até aquelas que dancem com o cabelo solto, o que, no clássico, seria impensável.

Dos palcos para as academias de ginástica, essa dança ganhou novas versões e adeptas. O balé fitness ou o power balé são duas modalidades que se inspiram nos movimentos tradicionais para criar séries com o objetivo de esculpir o corpo. Também nessas aulas, há um cabelo de bailarina para se inspirar: meio-rabo alto e bagunçadinho (com a ajuda de alguns rodopios) faz sucesso. O mesmo serve para o rabo alto, com baby hair esvoançante. Vale usar apostar nos penteados, mesmo quando não estiver usando as sapatilihas.

Sugestões de produtos: Shampoo Seda Liso Extremo e Condicionador Seda Liso Extremo, indicados para cabelos lisos ou ondulados. E TRESemmé Spray Texturizador Expert Perfeitamente (Des)Arrumado, para obter o efeito propositalmente bagunçadinho.

Salvar

All Things Hair
All Things Hair
20 outubro 2016

Próximos
Artigos