Conheça Loo Nascimento, a @neyzona que inspira milhares de mulheres negras

A influenciadores, entre outras coisas fala sobre a importância da autoestima e da representatividade para a mulher negra.

Loo Nascimento foi das primeiras blogueiras negras que  estouraram nas redes sociais. Com a pele mais escura, seu diferencial era ter a cabeça raspada e uma beleza que não estava na mídia comum. Em 2010 criou o DressCoração, uma página de inspirações no Facebook, que hoje é sua marca de roupas. Vinda de família empreendedora, a digital influencer é hoje uma das principais referências em estilo da internet.

Loo Nascimento: inspiração capilar e para a vida

Nascida em uma família militante, a relação com o cabelo sempre foi de aceitação. Loo Nascimento ficou careca pela primeira vez aos 15 anos de idade por uma questão de estética. Foi quando fez seu primeiro alisamento e por não cuidar bem do liso, ele quebrou. Ela não gostou do resultado e raspou. Atualmente, a digital influencer passa por diversas transformações capilares e se adapta bem a cada novo visual.

Para seguir já!

Seu perfil @neyzona tem 60 mil seguidores e um engajamento fortíssimo. Nele, Loo Nascimento posta seu estilo de vida, questões raciais e claro, muita beleza com selfies incríveis. All Things Hair entrevistou essa diva e ela nos contou tudo sobre a Luana Nascimento por trás das redes sociais.

Cabeça careca da Loo Nascimento
Foto: reprodução Instagram @neyzona

All Things Hair –  Como foi a sua infância e adolescência em questão de representatividade social e midiática?

Loo Nascimento – Nasci e cresci em Salvador, aqui tive uma estrutura familiar muito incrível. Meu pai é militante do movimento negro, minha mãe é educadora então essas pessoas me deram todo um suporte educacional social. Mas quanto a representatividade de mídia eu não tive, não me via na TV. Então a representatividade correta e útil eu tive em casa.

ATH –  Na infância e adolescência quem te influenciou esteticamente?

LN – Minha mãe e minhas tias, elas eram minha super-heroínas. Quando eu era criança tudo o que elas faziam eu achava incrível. A roupa que vestiam, o cabelo que tinham, qualquer coisa vindo delas era uma grande referência de como eu queria ou poderia ser. Não tinha mulheres parecidas comigo ou com a minha família na televisão.

ATH –  Você já passou por algum momento de insatisfação com a sua aparência?

LN – Quem nunca passou? Antigamente, qualquer insatisfação era uma questão de representatividade. Porque se você não visse algo que parecesse com você é impossível imaginar como aquilo poderia ser melhorado. Jamais atingiríamos aquele ideal de beleza. Mas, hoje em dia, eu tenho mais maturidade para dizer, não gosto disso ou daquilo. Por exemplo, descobri que minha mão pode ser bonita se eu não roer as unhas (risos).

ATH –   Você passou pela transição capilar? Como, quando e onde aconteceu?

LN – Costumo dizer que estou sempre em transição capilar. Descobri que meu cabelo é a parte do corpo onde posso interferir. Se eu quiser arrancar todo o meu cabelo ele vai crescer, posso pintar, usar acessórios, apliques, perucas, entre diversas outras opções. Consigo me divertir com meu cabelo, por isso acredito que isso também seja uma transição capilar. Mas quanto a transição tradicional do liso para o crespo, aconteceu uma vez. Quando tinha 15 anos pedi para meu pai um alisamento. Alisei, mas não cuidava, então o cabelo começou a quebrar. Fiquei insatisfeita com aquela aparência e raspei. Para mim, ser bonita não tinha a ver com ter cabelo ou não.

ATH –  As redes sociais influenciaram de alguma forma o seu comportamento em relação à estética?

LN – Se eu fosse morar dentro de uma rede social seria o Tumblr. Esse aplicativo é um mar de referências e possibilidades. E foi a partir dele, em 2011, que tive a ideia de começar DressCoração, o meu projeto de referências (uma página no Facebook). Achei neste aplicativo pessoas que se pareciam comigo e com minhas amigas. O que eu não via nas outras redes sociais, que só tinham blogueiras brancas e de cabelo liso. Então, o meu processo de autoconhecimento e amadurecimento começou junto com o DressCoração Tumblr. Nessa mesma época, comprei meu primeiro batom vermelho. Eu passava e ficava me olhando no espelho me estranhando até começar a me amar e a me permitir.

Cabeça careca da Loo Nascimento
Foto: reprodução Instagram @neyzona

ATH – Quando e como o empreendedorismo surgiu na sua vida?

LN – O empreendedorismo sempre esteve presente na minha vida. A minha família é de empreendedores e sempre pontuo as mulheres da minha família, pois todas têm seu próprio negócio. Vender coisas sempre foi meu ponto forte. Com 11 anos minha mãe perguntou: você quer uma bicicleta ou um carrinho de cachorro quente? Eu disse: Um carrinho de cachorro quente! Se eu vender muito cachorro quente eu posso ter cachorro quente e uma bicicleta. Então o empreendedorismo sempre esteve presente na minha vida, mas entendi isso adulta quando realmente conheci o significado da palavra empreendedorismo.

ATH-   Estética e empreendedorismo caminham juntos?

LN – No meu caso sim. O meu empreendedorismo nasceu de um movimento de militância estética. DressCoração, que hoje é a minha marca, nasceu desse movimento, pautado em uma autoestima que motiva a se sentir bonita com cabelo ou sem.

ATH – Loo Nacimento é referência em empreendedorismo, beleza e comportamento. Qual o impacto disso na sua vida pessoal?

LN – A partir desse momento eu entendo que tenho que ter responsabilidade, inclusive com a minha vida pessoal. As vezes me sinto muito cobrada e polida. Por isso tenho me policiado bastante para voltar a humanizar cada vez mais as minhas relações pessoais, quanto Luana e indivíduo.

ATH –   Hoje, qual o seu estilo de cabelo favorito e porquê?

LN – Hoje eu respondo para essa entrevista que meu estilo favorito é o cabelo cortado na máquina um. Porque ainda fica um pouquinho de cabelo. Totalmente careca é fritação (risos), muito protetor solar na cabeça. Eu também amo ficar loira, me sinto maravilhosa quando o cabelo está descolorido, acho que ilumina o meu rosto.

ATH – Qual a principal dica de cuidados com o cabelo crespo que você não abandona?

LN – Shampoo. Invista em um higienizador bom, que cuide do couro cabeludo, que seja anticaspa e que hidrate. Óleo de coco também é vida, além de passar nos cabelos eu passo no corpo inteiro.

Sugestão de produtos

Para quem tem os cabelos curtinhos ou raspados, assim como Loo Nascimento, é essencial investir em shampoos que, além de hidratar, também protejam o couro cabeludo. Por isso, sugerimos o Shampoo Clear Fusão Herbal Cuidado Totalque aumenta as defesas do couro cabeludo e também o Shampoo Clear Crescimento & Força, que é formulado com Nutrium 10 e colabora na reparação e na ativação da camada de proteção natural do couro cabeludo.

Experimente também produtos que façam uma limpeza delicada como o Shampoo Seda Boom Liberado, que limpa delicadamente e respeita a oleosidade natural do cabelo e couro cabeludo.