Dia do Orgulho Crespo 2018 celebra e empodera mulheres através dos cabelos

Aline Bibiano | 26 julho 2018
×

Movimento ganhou data especial no estado de São Paulo este ano.

Resultado da força de vontade de três mulheres, Neomísia Silvestre, Thaiane Almeida e Nanda Cury, a Marcha do Orgulho Crespo acontece desde 2015 e de tão importante, o evento acabou tendo alcance político e, em 2018, teve lei sancionada pelo estado de São Paulo, declarando o dia 26 de julho como o Dia do Orgulho Crespo 2018.

Dia do orgulho crespo 2018 inspira mulheres do Brasil e do mundo

A Marcha do Orgulho Crespo, que surgiu com um evento marcado através de redes sociais, mobiliza há três anos a sociedade a participar, incentivar e valorizar a estética afro-brasileira. Com representantes em nove estados brasileiros e em mais dois países, EUA e Canadá, a marcha já atravessou as fronteiras brasileiras e, atualmente, é comemorada também pelas suas frentes filiadas.

Marchas

Foram três grandes marchas até agora, nas quais All Things Hair esteve presente nas duas últimas edições, e os eventos só cresceram, tanto no número de pessoas presentes, quanto no interesse da mídia. “Nosso objetivo é criar referências positivas que potencializem o debate sobre cabelo crespo e estética negra. Promover experiencias e ações que conectem agentes da cultura, economia criativa, formadores de opinião, ativistas, poder público e iniciativa privada. Pautar questões raciais por meio do cabelo crespo e incentivar narrativas representativas”, afirma Neomísia Silvestre, fundadora da Marcha do Orgulho Crespo.

Foto: Lincon Justo Fotografia

Para a influencer Aracelly Oliveira (oliveiraaracelly), a data levanta uma bandeira que é de todas as crespas. “Em 2016 foi a minha primeira vez participando de uma marcha após o meu big chop, que fiz há quatro anos. É um movimento que abraço e tenho e tenho orgulho.  por levantar uma bandeira que é de todas as crespas, que ainda não têm tanta visibilidade, mas que estão ganhando espaço”, conta.

A influenciadora Marfim Rosa (@marfimrosa), considera a lei do Dia do Orgulho Crespo uma vitória. “Fico muito feliz porque essa data é comemorada um dia depois do Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha. É a maneira de termos o debate social pelo viés estético e falar do cabelo como forma de autoestima e afirmação da identidade”, acredita.

Foto: Lincon Justo Fotografia

Inspiração no Afropunk

Jornalista, criadora da Hot Pente – festa hip-hop com protagonismo feminino – e, atualmente, à frente da Marcha e do Dia do Orgulho Crespo, Neomísia, 34 anos, luta para que a celebração dessa data seja cada vez maior. “Nos inspiramos em outras marchas libertárias com recorte racial e feminista como o Afropunk. Queremos somar vozes de crespos e crespas em prol de um objetivo em comum: fortalecer a identidade e autoestima de pessoas que cotidianamente lidam com o racismo, o machismo e a discriminação motivados por seu cabelo crespo”, explica.

Foto: Lincon Justo Fotografia

Em 2019 a celebração da data promete evento incrível

Em 2018, infelizmente, a Marcha do Orgulho Crespo não vai acontecer por conta de conflito de datas, mas em 2019 o evento volta com força total!

Para o primeiro aniversario oficial do Dia do Orgulho Crespo, Neomísia promete um espetáculo de muito amor, encontros e afirmação da beleza negra. A jornalista não revela os planos, mas afirma que a cada evento procura melhorar ainda mais, fazendo com que seja um encontro de ideias, conhecimento, arte e música. O local ainda é segredo, mas muitas novidades estão por vir.

“Além de um evento político é um dia de celebração. Queremos que a cultura do Orgulho Crespo seja capaz de combater o racismo pelo viés estético e que este seja um ponto de partida para que a sociedade compreenda que o cabelo não pode nem deve ser motivo de discriminação ou exclusão de qualquer oportunidade”, finaliza Neomísia.