Estilo roqueiro: guia para cabelos masculinos

All Things Hair | 13 julho 2016
×

Visual cheio de atitude começa pelo corte de cabelo. Escolha o seu.

 

Pode parecer, hoje em dia, uma dança das mais inocentes, mas quando o estilo roqueiro se popularizou entre a juventude, na década de 1950, foi chocante para as famílias tradicionais. Garotas balançavam o cabelo ao som do twist, enquanto os primeiros rock stars balançavam o corpo, de um jeito muito sensual.

O requebrado virou sinônimo de rebeldia. Embora o rock tenha tido, de lá para cá, muitas outras facetas, essa rebeldia permaneceu em cada uma delas. Ao influenciar o comportamento, o rock se firmou também como grande cristalizador de tendências de moda e beleza — e o cabelo é o principal elemento desse tópico.

Complementos, como chapéus e bandanas, ajudam a reforçar a inspiração do estilo roqueiro. Mas é mesmo o corte e o modo de pentear o cabelo, usando os finalizadores corretos para cada proposta, que fazem a diferença. Veja nossas dicas.

6 inspirações de cortes estilo roqueiro

Topetão

Pense no movimento rockabilly, ainda em meados do século 20. Tão iconográfico quanto a jaqueta de couro é o topete. Quanto mais alto e brilhante, melhor. Naquele tempo, usava-se brilhatina, mas hoje, o efeito molhado não está tão em alta. Para modernizar o corte e o penteado, prefira pomada ou cera com finalização mate. Se completar com fios platinados, não vai ter como olhar para mais ninguém. Seu cabelo vai ser o centro das atenções, digno de um rock star.

Black poderoso

O rock é filho do r&b e nasceu com influência direta do som que rolava nas igrejas dos talentosos e suingados negros americanos. Dessa forma, um black power sempre terá atitude e DNA rock’n’roll. Alguns dos ícones roqueiros, da guitarra e do vocal, exibiam seus cachos com orgulho, inclusive como mensagem de resistência anti-racismo. Na década de 1970, os cabelos costumavam ser penteados, já hoje, a predileção é por cachos definidos. De um ou de outro jeito, o black power (assim como o rock) é um clássico absoluto.

Moicano

Nos anos 1970, na cena underground de Londres, o  punk-rock ecoou alguns dos mais raivoso refrões da história do rock.  Os adeptos ao estilo usavam anéis de soco-inglês, jaquetas de tachas e, para combinar, até o cabelo era capaz de machucar. Moicanos bem altos e espetados eram um signo de identificação imediata entre eles. Caracterizado por laterais completamente raspadas e apenas a faixa central do cabelo preservada, o corte só estava completo quando penteado para cima.

Então, usava-se até sabonete para fixar a faixa de cabelo, considerada quanto mais comprida, melhor. Nem é preciso dizer que o visual chocava a maior parte da sociedade. Como se não bastasse, os punks ainda pintavam os cabelos de azul, rosa, roxo — tingas que ainda não eram conhecidas como “cores fantasia”, à época.

O lema do punk rock era “no future” (sem futuro). Mas o moicano teve vida longa, sim. Seu mais recente ressurgimento se deu na década passada, porém não mais com aura rebelde. Mais discreto, com laterais cortadas à máquina 1 ou 2 (e não tanto à máquina zero), ele se popularizou impulsionado por jogadores de futebol que adotaram o look. Hoje em dia, o corte anda meio sumido, mas não se reprima caso queira adotar um moicano para chamar de seu. Apenas considere nosso conselho: prefira sprays fixadores ao sabonete, na hora de firmar o cabelo. Sabonetes ressecam os fios.

Com bandana

Nos anos 1980 e 1990, o hard rock era caracterizado por músicas longas, refrões que colavam nos ouvidos e vocalistas cabeludos, que, com desenvoltura, usavam bandana, bermudas elásticas ou regatas (às vezes, até, usavam tudo isso ao mesmo tempo).

Mais lembrado item dessa indumentária, a bandana experimenta um revival nos tempos atuais, fazendo sucesso em cabelos masculinos, femininos e, principalmente, nos pescoços de cachos que têm perfil próprio nas redes sociais.

Sujinho

Cabelo longo, na altura do queixo, do ombro, no meio das costas e até beirando a cintura, rende um capítulo inteiro na história do rock. Nos anos 1990, o grunge dominava a cena e, com ele, não bastava que o cabelo fosse longo. Era preciso ser também meio sujinho. Tinha a ver com o estilo de vida dos roqueiros da época, que cantavam músicas com letras depressivas, enquanto vestiam suéteres rasgados e camisas xadrez das mais surradas.

O estilo está em alta de novo, mas numa pegada, digamos, mais higiênica. A atitude do grunge, de não ligar muito para nada, continua cool. Mas, você pode (e deve!) lavar os cabelos, ok? Para dar o efeito-rebeldia nos fios, amasse-os com um pouco de pomada.

Assimétrico

O corte assimétrico com fios desconectados, que fez a cabeça dos mais queridos vocalistas do indie rock inglês dos anos 2000 continua atual. Seu charme é a franja cortada na perpendicular e jogada, assim, de lado, como se nem tivesse merecido atenção. Porém, a displicência é só ilusão.

Na verdade, o visual é propositalmente desalinhado, o que significa que foi estilizado exatamente para parecer que não foi estilizado. Entendeu? Para seguir a receita dos ingleses, passe pomada na palma da mão e amasse a franja. Se tiver paciência para usar o secador, melhor ainda.

Sugestão de produtos

Para seguir qualquer penteado destes estilos roqueiros, seu cabelo precisa estar forte e saudável. É ideal manter uma rotina com shampoo e condicionador específicos para o seu tipo de fio. Recomendamos  Dove Men+Care Shampoo 2 em 1 Força Resistente e Shampoo Clear Men Limpeza Diária 2 Em 1. Os dois produtos unem as funções de limpar e condicionar os fios num só, numa forma rápida e prática de cuidar dos fios. Para estilizar o cabelo, aposte no Spray Texturizador TRESemmé Expert Perfeitamente (Des)arrumado, com fórmula leve que contém extrato de algas marinhas.

Insira um @ no email informado
Você agora está inscrito na newsletter de All Things Hair.