Michele Passa: “Aprendi como é incrível a diversidade do cabelo crespo”

Tamires Crispim | 31 julho 2017
×

Dona de um belo cabelo 4C, a blogueira falou sobre transição capilar e deu várias dicas. Confira!  

A transição capilar motivou a blogueira Michele Passa, 32 anos, a usar a internet para compartilhar sua experiência. Desde então ela usa seu blog e canal de Youtube para empoderar e inspirar as meninas de cabelo crespo, dividindo as experiências que realiza no próprio cabelo tipo 4C. Professora de física, Michele já trabalhou com moda e beleza e também aborda esses assuntos em seus posts e vídeos. Em uma entrevista exclusiva para All Things Hair, ela dá dicas, fala sobre os desafios de ter um cabelo crespo e sobre o processo de aceitação que a fez aprender a amar a textura dos seus fios. Vale a leitura!

ATH entrevista Michele Passa

modelo de Michele Passa
Foto: Reprodução/Instagram @michelepassa

Confira aqui tudo o que já publicamos sobre transição capilar

All Things Hair: Você criou um canal no Youtube ainda durante a sua transição capilar. O que a levou a passar pelo processo de transição e como o canal te ajudou nesse período? Você teve alguma inspiração?

Michele Passa: Alisei meu cabelo por mais de 15 anos e nunca dispensei os cuidados no salão. Aconteceu que quando mudei do Rio Grande do Sul para São Paulo, fiquei sem a minha cabeleireira e, para piorar, não achei nenhum salão que soubesse direito cuidar dos meus cabelos debilitados. Então, comecei a refletir justamente sobre essa questão da falta de representatividade e da falta de oferta de produtos quando se fala da estética negra.

Sou professora, já ministrei aulas em várias instituições públicas e privadas. E em certos momentos acorreram algumas situações racistas comigo, que me levaram a decidir que, como uma mulher negra que dá exemplo, deveria me expressar a partir da minha imagem, assumir meu cabelo crespo e falar sobre isso.

O canal surgiu quando tinha em torno de 7 meses de transição. Foi na necessidade de dividir (a pedidos de muitos/as) com outras pessoas que a transição não precisava ser tão sofrida. E essa foi uma decisão que não só me fez a minha transição melhor mas também me aproximou de pessoas que tinham o mesmo objetivo. Não demorou muito para que tudo isso se transformasse em uma rede de empoderamento, e isso foi essencial para chegar até o big chopAs inspirações que tive foram de blogueiras como a Rayza Nicácio, Maraisa Fidelis e meninas com o tipo de cabelo mais parecido possível com o meu.

ATH: Sendo dona de um cabelo 4C, que naturalmente não forma cachos, acha que a transição capilar foi mais desafiadora? Como foi o processo de adaptação à textura dos seus fios?

Michele Passa: Não sabia se conseguiria me ver com aquele cabelo crespo que nunca tinha gostado, ou aliás que sempre fui ensinada a odiar.

Assisti muitos vídeos nos quais as meninas apareciam realmente sofrendo, chorando durante a transição e após o big chop, então resolvi que a minha transição seria diferente, não fácil, mas diferente no sentido de que não sofreria tanto quanto elas. Eu faria muitas texturizações para disfarçar as texturas, e aprenderia a cuidar desse “novo cabelo” que nunca havia dado uma chance. E assim foi. Passei 10 meses aprendendo muito sobre como cuidar dos meus cabelos sozinha, vi muitos vídeos.

No dia do meu BC, estava com muito medo e tremendo, mas logo que a cabeleireira foi cortando, fui me libertando e aceitei imediatamente aquele cabelo crespo, sem cachos. Não houve processo de adaptação da textura, o amor foi imediato.

modelo de Michele Passa
Foto: Reprodução/Instagram @michelepassa

ATH: Muitas pessoas ainda possuem dificuldade de lidar com um cabelo crespo. Qual dica você daria para quem ainda tem receio de assumir esse tipo de cabelo?

Michele Passa: A dica que dou sempre é ter certeza de que é isso que a pessoa quer. Apoio a ideia de nunca entrar em transição porque várias pessoas estão entrando ou porque alguém que você gosta muito está ou, até mesmo, porque você simplesmente acha que deve entrar para agradar alguém. A única pessoa a ser agradada deve ser você. E, se você se sente mais feliz, mais segura com cabelo com química, não há nada de errado nisso.

A transição é um processo transformador, não é só por aparência, você se modifica por fora, mas muito mais por dentro quando realmente faz isso conscientemente. Precisamos entender que ao final teremos o nosso cabelo natural, e esse cabelo natural nem sempre será igual àquele cabelo que tanto admiramos em alguém, mas é o nosso cabelo e precisamos aprender a cuidar e entender a sua beleza.

É normal dizerem que o cabelo crespo dá muito trabalho, e isso era realmente verdade há algum tempo atrás aqui no Brasil e ainda hoje em outros países que não oferecem uma gama muito extensa de produtos e tratamentos (diferentes marcas e preços) para o cabelo crespo. Fora isso, a verdade é que ele tem o mesmo grau de dificuldade de qualquer outro tipo cabelo e é tão lindo quando qualquer outro.

modelo de Michele Passa
“não sou muito fã de texturizações porque elas acabam com meu volume, mesmo assim texturizo e faço franjas quando quero mudar” | Foto: Reprodução/Instagram @michelepassa

ATH: Como é a sua rotina de cuidados capilares? Qual é a sua finalização predileta?

Michele Passa: Na transição fazia cronograma capilar. Hoje, como já consigo distinguir qual tratamento meus cabelos necessitam, procuro lavar de 3 a 4 vezes na semana, sempre utilizando algum tratamento. Essa foi a forma que encontrei de manter meus cabelos desembaraçados e bem nutridos. Para finalizar, geralmente não uso uma quantidade grande de cremes de pentear e utilizo sempre óleos vegetais.

A finalização que dá grande volume no cabelo é a minha favorita. Gosto dos meus cabelos para o alto, sem franjas, e sem definição, por isso não sou muito fã de texturizações porque elas acabam com meu volume, mesmo assim texturizo e faço franjas quando quero mudar.

ATH: Quais são os piores erros que a dona de um cabelo crespo pode cometer, na sua opinião?

Michele Passa: Não hidratar os cabelos periodicamente é a pior, depois passar pentes e escovas no cabelo seco, colocar box braids por muito tempo e não fazer manutenção alguma, ficar com os cabelos sempre presos, dentre outras. O cabelo crespo é mais ressecado e fino, logo ele precisa de nutrições e hidratações, além disso ele quebra com facilidade, qualquer tensão aplicada constantemente pode fazê-lo se romper.

modelo de Michele Passa
Foto: Reprodução/Instagram @michelepassa

ATH: Quais produtos e acessórios você considera essenciais para quem acabou de assumir os fios crespos?

Michele Passa: Produtos: máscara hidratante, óleo vegetal e um creme de pentear. Já os acessórios, além do pente garfo, na minha opinião, vai da personalidade de cada pessoa. Muitas vezes só um belo corte bem curtinho já fica super lindo e dispensa acessórios.

ATH: Além de cabelo, você fala sobre estilo de vida, moda e beleza no seu canal. De onde tira inspiração para os seus vídeos?

Michele Passa: Desde muito nova sempre gostei de assuntos de moda e beleza. Já fui modelo, participei de diversos concursos de beleza e ganhei alguns. O canal não estaria completo se não houvessem esses assuntos que, na verdade, gostaria de abordar com mais frequência. Tenho diversas inspirações da internet como Youtube, Pinterest e Instagram. Sou fã de várias negras de canais internacionais e nacionais. Sim, tem muitas negras na internet com conteúdo incrível sobre vários assuntos.

modelo de Michele Passa
Foto: Reprodução/Instagram @michelepassa

ATH: Você sempre está com um penteado diferente e já postou vários tutoriais no seu canal. Qual é o seu penteado favorito? E qual penteado recomenda para quem fez o big chop e está com os fios mais curtinhos?

Michele Passa: Aprendi como é incrível a diversidade do cabelo crespo quando a gente se permite para isso. Dá para fazer muitos visuais diferentes e meu penteado favorito é o coque, o mais simples, mas acho que ele combina com qualquer ocasião e fica muito lindo. Para quem está com os cabelos bem curtinhos recomendo (e usava muito!) o cabelo preso na lateral, seja com twists, trancinhas ou grampos, fica muito charmoso. Acho lindo também repartir o cabelo em um dos lados e fazer baby hair, fica como se fosse um corte super moderno.

ATH: Como você se sente sabendo ser referência para tantas outras pessoas?

Michele Passa: Muito feliz! Não tinha essa intenção de ser, de certa forma uma referência, mas a cada pessoa que me conta o quanto pude contribuir para seu processo de transição e, principalmente no processo de amar o seu cabelo crespo, de entendimento do seu poder, da sua beleza natural e do seu estilo, fico muito gratificada. Fico feliz de ser mais uma pessoa contribuindo para a representatividade da beleza negra, que acho ainda em falta na nossa sociedade.

Sugestão de produtos

Para os cabelos crespos, sugerimos o uso do Shampoo TRESemmé Selagem Capilar Crespo Original, que é balanceado com arginina, lisina e manteiga de karité para nutrir a fibra, proporcionando restauração do cabelo ressecado e quebradiço, selando a hidratação. Utilize com a dupla da mesma linha, o Condicionador TRESemmé Selagem Capilar Crespo Original, que promete restaurar o cabelo quebradiço, selando a hidratação deixando seus cachos saudáveis e ainda mais resistentes.

Após concluir a lavagem dos fios, experimente finalizar o cabelo com o Dove Pure Care Dry Oil, tratamento com infusão de óleo de macadâmia africana que promete nutrir os fios com uma rápida absorção, sendo indicado para recuperar os cabelos secos e sem vida.

Insira um @ no email informado
Você agora está inscrito na newsletter de All Things Hair.