Tratamento hormonal causa impactos no cabelo e pele e pede acompanhamento médico

Direito garantido pelo SUS, transição hormonal combate disforia e ajuda no bem-estar da população trans.

Um dos tratamentos possíveis para pessoas que decidem fazer a transição de gênero é a terapia hormonal. Com ela, muitas mudanças começam a acontecer no corpo, e isso inclui o cabelo. Para falar um pouco sobre o assunto, conversamos com duas pessoas que passaram pelo processo e uma especialista.

O tratamento hormonal é um passo importante na qualidade de vida de pessoas trans que optam por fazer uso de hormônios, e é um direito garantido pelo SUS (Sistema Único de Saúde), de acordo com a Política Nacional de Saúde Integral LGBTQIAP+ do Ministério da Saúde.

Em 2013, o programa foi ampliado, passando a atender também homens trans que decidem passar por procedimentos de harmonização e cirurgia. É direito da comunidade queer ter acesso não só à políticas públicas de acesso a hormônios como receber o apoio de profissionais que façam um acompanhamento de saúde especializado.

O que acontece com o cabelo na terapia hormonal?

Queda de cabelo, mudança na textura dos fios e oleosidade são questões esperadas com o início do tratamento hormonal. De acordo com a Dra. Meire Gonzaga, dermatologista do Saúde Minuto, cada hormônio causa uma mudança e o tratamento precisa sempre de acompanhamento médico.

“As pessoas que usam estrogênio vão sentir o cabelo com mais textura, então ele vai ganhando volume. Podemos até ter uma melhora da qualidade desse fio. Enquanto a testosterona pode sim provocar uma queda de cabelos, afinamento dos fios e maior oleosidade”, explica.

Para a médica, é importante que cada paciente tenha um plano especializado de tratamento.

“Principalmente quando a terapia é a base de testosterona, vamos encontrar um cabelo que pode ter aumento de queda, a pele pode ter mais acne, o couro cabeludo vai ficar mais oleoso. Então precisamos ver como essa transição está ocorrendo e qual a repercussão que está tendo nesse couro cabeludo e nesse cabelo, o que vai depender um pouco da genética da pessoa. Existem várias maneiras da gente ajudar com remédios, tópicos ou injetáveis no couro cabeludo para ajudar nesse processo para que não tenha uma perda capilar importante”.

A terapia hormonal pode começar a ser feita por pessoas a partir de 18 anos, de acordo com o Ministério da Saúde e é possível ver as primeiras mudanças a partir de 3 meses de tratamento, em média. Depois de dois anos, espera-se que as mudanças desejadas já tenham acontecido.

Como é para quem passa pelo tratamento hormonal?

O teresinense Armando Angelim começou a se entender como homem trans entre 2015 e 2016, e há quatro anos iniciou sua jornada na terapia hormonal. Para ele, os resultados que viu no espelho foram essenciais para sua felicidade.

“Minha vida mudou da água para o vinho, a mudança foi sem precedentes. Brinco com meus amigos, Santa testosterona! Depois que comecei a terapia hormonal, consigo me enxergar como sempre quis. Até os 22 anos estive preso, e agora me sinto livre. Ainda tenho muitas etapas para completar, mas hoje o Armando existe e está por aí sendo feliz. Com a mudança abrupta na minha pele, cabelo e traços faciais, consigo tirar uma foto e sorrir sem sentir vergonha”, comemora.

homem trans armando
Foto: Arquivo pessoal

Ao tomar testosterona, Armando logo percebeu muitas mudanças em sua aparência, especialmente em relação aos cabelos. “Tudo muda, seu corpo é afetado em todos os aspectos. Em relação ao cabelo e pele, antes meu cabelo era bem ralo e fino em espessura e volume, e hoje tenho que cortar meu cabelo a cada 15 dias. Ele cresce muito rápido. Minha pele, que era bem suave, ficou mais áspera também”, explicou.

Antes desinteressado em cuidar muito dos cabelos, Armando sentiu uma mudança radical após o início da terapia hormonal. “Meus cabelos são importantes para mim, principalmente com a transição, porque foi por meio deles que dei meu primeiro passo na jornada de me assumir uma pessoa trans ao cortá-los curtinhos pela primeira vez. Isso foi libertador, me fortaleceu. Desde então ele nunca mais cresceu, faço cortes em degradê, já cortei na máquina zero… só queria que a barba crescesse igual ao meu cabelo”, completou.

homem trans caio
Foto: Arquivo pessoal

O influenciador Caio Santos também relatou mudanças significativas no cabelo com o uso da testosterona, especialmente em relação à textura. “Meu cabelo ficou mais grosso e caiu bastante, perdi muito volume. Após dois anos tomando hormônio, ele ficou mais liso que o normal. Antes disso, ele manteve o padrão dos cachos, que hoje são mais abertos”, explicou ele.

Sugestão de produtos

Além de fazer acompanhamento com um profissional durante o processo de tratamento hormonal, é preciso cuidar dos cabelos no dia a dia também.

Para quem notou que houve um aumento da oleosidade, a nossa dica é o Shampoo Love Beauty and Planet Energizing Detox e o Condicionador Love Beauty and Planet Energizing Detox, que vão ajudar a remover o excesso de óleo de maneira delicada.

Outra sugestão é o Shampoo Love Beauty and Planet Crescimento Saudável, o Condicionador Love Beauty and Planet Crescimento Saudável e o Tônico Reequilibrante Love Beauty and Planet Crescimento Saudável, que vão ajudar a fortalecer os fios e a prevenir a quebra.

Fonte consultada: Dra. Meire Gonzaga, médica dermatologista do Saúde Minuto

Texto por Stefanie Gaspar

Artigo anterior
Artigo seguinte
Decoration image
Decoration image