Ele está de volta: o “cabelo cuia” é tendência

O corte cuia ou "bowl cut" andou sumido nos últimos anos, mas ensaia um retorno.  

Cuia é o nome do fruto da cuieira, uma árvore nativa do Norte do Brasil. Resistente e redondinho, a cuia virou matéria-prima para um utensílio doméstico muito usado pelos índios. Bastava cortar a casca desse fruto ao meio, deixá-la secar, e lá estava uma vasilha pronta. O cabelo cuia, também conhecido como “bowl cut” é aquele que parece ter sido moldado nessa vasilha. Ou seja, tem fios retos e de comprimento uniforme em toda a sua extensão, da franja à nuca. No cabelo liso e pesado, fica mais fácil perceber a razão do nome, porque o formato peculiar é realçado pela homogeneidade dos fios.

Mas não é só o tipo de cabelo e o modo como ele é cortado que caracterizam o estilo. O jeito de pentear também conta. Para aderir, saiba que os  fios precisam ser penteados na direção em que crescem. A franja cai para a frente, os fios laterais, cada um para seu lado, e a parte de trás, vai na direção do pescoço. 

Corte tigela ou tigelinha são outras formas de se referir à tendência, que pode vir com os fios retos ou com suave diferença de comprimento, sendo mais curto sobre a testa e acima das orelhas. Em inglês, aliás, o nome é esse também, “bowl cut”, se refere à tigela redonda que usamos em casa. Quase um sinônimo para “cuia”, certo?

Cabelo cuia: ontem e hoje

Para modernizar o corte, atualmente, uma boa dica é desfiar as pontas e criar um efeito menos chapado. Pontas desfiadas deixam o aspecto mais leve e beneficiam o movimento.  À moda antiga, o corte era propositalmente pesado e inteiriço.

Essa tendência, que teve seu auge no início dos anos 1960, embalada pelo ritmo (e as estrelas) do iê iê iê, voltou a ganhar adeptos pela Europa recentemente e promete se espalhar novamente pelo mundo. Não será a primeira vez que isso acontece. Na década de 1950, o corte fazia a cabeça de jovens franceses, homens e mulheres e, anos depois, ganhou o mundo, graças a roqueiros ingleses. O resultado foi uma onda de homens com cabelo cortado nesse estilo, do Japão ao Brasil.

Por aqui, o corte também ficou marcado como característica marcante dos amantes do  rock, escolha tanto dos  fãs como dos  ídolos. Eles eram facilmente identificados pelo cabelo liso penteado para a frente. Na falta de fios naturalmente lisos (capazes de imitar perfeitamente uma cuia!), naquele tempo pré-chapinha, era comum os homens reforçarem o penteado com o auxílio de toucas de meia.

Homem asiático usa cabelo de cuia com pontas desfiadas
Para atualizar o corte, vale desfiar as pontas do cabelo. | Foto: Dvora

Cabelo cuia: em busca do liso perfeito

Cabelos lisos, de fato, são os melhores amigos do corte em formato de cuia. E, nesse quesito, quem tem os fios naturalmente retos, sai na frente. Quem quiser alisar o cabelo, entretanto, também pode conquistar o efeito. Se for seu caso, existem diversas opções a seu favor. Todas bem mais práticas do que a velha touca! Entre as alternativas com duração temporária, a dupla imbatível é o secador de cabelo e a chapinha. Se for sua escolha, aplique um protetor contra as altas temperaturas no cabelo e, use uma escova cilíndrica enquanto seca os fios.

As opções de alisamento mais duradouras são aquelas que incluem algum tipo de química, como as escovas definitiva ou progressivas. Apesar de a durabilidade pesar a favor dos procedimentos, eles também têm seus contras, como o aumento da oleosidade na raiz e a desnutrição dos fios — “encapados” pela química, que muda sua estrutura, eles acabam não absorvendo nutrientes como o cabelo virgem. Por isso, vale consultar um profissional, antes de se decidir pela química e contar com esse expert para executar o processo.

Sugestão de produtos: Shampoo Clear Men Limpeza Profunda, que ajuda a prevenir a caspa, Dove Men+Care Shampoo 2 em 1 Força Resistente  Dove Men+Care Condicionador Força Hidratante, que auxiliam o fortalecimento dos fios.