Jaque Denize: “Quero desvendar o mito de que cabelo cacheado dá trabalho”

Para celebrar o Mês da Mulher, batemos um papo com seis influenciadoras de ATH com diferentes perfis e trajetórias para traçarmos um panorama do que é ser mulher no Brasil. Hoje é a vez de Jaque Denize brilhar e mandar a real num papo bacana sobre cachos e muito mais

Se você acompanha a gente no YouTube, já deve ter visto vários vídeos da Jaque com dicas incríveis para cabelos cacheados. A superinfluenciadora também tem seu próprio canal, é claro: o Jaque Cacheia, como também é conhecida, soma mais de 27 mil inscritos, que ela carinhosamente chama de “meus cachinhos”. Nesta entrevista, batemos um papo sobre seu papel nas plataformas digitais, cabelos cacheados e transição capilar.

ATH: Qual é a missão da Jaque no Youtube e nas outras plataformas quando o assunto é cabelo?

JD: Minha missão é desvendar o mito de que “cabelo cacheado dá trabalho” e mostrar que é possível ter um cabelo bonito e saudável cuidando dele em casa de forma fácil e sem sofrimento.

ATH: Qual é a dica que as cacheadas mais te pedem?

JD: Ultimamente me pedem muito dicas sobre crescimento capilar, porque o meu cabelo cresceu bastante de forma bem rápida.

ATH: Na sua opinião, existe alguma questão sobre cabelos cacheados que é muito importante e ainda seja pouco abordada nas diferentes plataformas?

JD: Acho que abordam pouco sobre como é fácil ter cabelo cacheado. Geralmente, os tutoriais são cheios de produtos e muitas influenciadoras passam uma mensagem de que o cabelo cacheado só é bonito se for um cacho perfeito o tempo todo. Eu sinto falta de pessoas abordando assuntos sobre o cabelo cacheado real.

ATH: Em 2017, as pesquisas por cabelos cacheados na internet cresceram 232%, superando as buscas por cabelos lisos pela primeiríssima vez. Já as pesquisas por cabelos afro aumentaram em 309% nos últimos dois anos, segundo dados do Google. Mas será que dá pra afirmar que a ditadura dos cabelos lisos realmente chegou ao fim?

JD: Eu verdadeiramente espero que sim! (risos). Agora falando sério… Já fazem oito anos que eu tomei a decisão de retornar para os cachos. Já faz bastante tempo. Na época, eu lembro que muitas pessoas comentavam que esse movimento de retorno aos cachos não passava de uma modinha passageira e, bom, eu já estou nessa “modinha” há oito anos.

Inclusive, uma amiga minha que sempre jurou de pé junto que esse movimento não passava de moda me mandou mensagem essa semana falando que decidiu entrar em transição capilar (risos). Eu fiquei bem feliz! Acredito que a ditadura do cabelo liso finalmente tenha acabado.

Influenciadora digital Jaque Cacheia
Foto: Reprodução | Instagram @jaquecacheia

ATH: Assumir os cabelos naturais não é algo meramente estético. De que forma sua transição capilar te transformou por dentro e ressignificou sua identidade?

JD: Eu fui uma criança e uma adolescente muito insegura por ter um cabelo alisado que não era nem lá nem cá. Era um “liso” horrível, todo ressecado e quebradiço. Foram raras as vezes em que eu me senti bonita na infância ou na adolescência. Ter libertado os meus cachos do alisamento me fez
perceber o quanto eu sou bonita e me trouxe autoestima.

Consequentemente, eu virei uma pessoa mais segura e confiante. O cabelo cacheado também virou a minha profissão – afinal, se hoje eu sou influenciadora digital, foi graças a ele. Parece apenas um ato estético, mas o cabelo cacheado me mudou muito.

ATH: Qual conselho você daria para quem quer começar a fazer uma transição capilar?

JD: COMECE AGORA MESMO! (risos). Eu tenho certeza de que você não se arrependerá dessa decisão. O único arrependimento que pode ocorrer é o de não ter tomado essa decisão logo. Eu particularmente nunca vi ninguém que retornou para os cachos e se arrependeu. E olha que eu estou nessa trajetória há oito anos.

Próximo