Sobre autoaceitação e bullying: o que eu teria dito para a Gabi de 15 anos

Gabi Vasconcellos | 01 outubro 2018

Confira a coluna da nossa embaixadora e saiba como ela superou várias dificuldades de autoestima.

Apesar de serem cada vez mais distantes, as lembranças dos comentários “engraçados” dos colegas de escola da Gabi de 15 anos me deixavam totalmente desconfortável ainda estão presentes na memória. Lembro dos olhos enchendo d’água quando associavam meu cabelo à palha de aço, ninho de passarinho, ou quando me chamavam de leão, cantarolando a música que hoje calha de ser uma das minhas favoritas.



Autoaceitação e bullying



Hoje, já não me doem. Mas já doeram muito. Triste é saber que essa cena – o bullying com cabelos cacheados e crespos – fez e ainda faz parte da história de tantas meninas e mulheres, como eu. Mas como já não me doem, hoje a minha fala é para a Gabi de 10 anos atrás. A Gabi de 15 anos, que já recorria à procedimentos pesados para tentar se encaixar em um quadradinho de padrão estético que tinha como um dos pressupostos o cabelo extremamente liso, controlado, alinhado. Tão diferente do que é o meu cabelo natural.

Esse momento passa

Vai passar. Você vai se fortalecer e passar a não dar ouvidos para o que as pessoas dizem sobre a sua aparência. Vou além. Você vai aprender a amar o seu cabelo exatamente da maneira que ele é. Vai perceber beleza no natural, em cada um dos cachinhos que caem da sua cabeça e emolduram seu rosto. Porque eles estão ali por uma razão: combinam totalmente e perfeitamente com quem você é, por dentro e por fora.

Foto: reprodução | Instagram @gabivasconcellosv

Depois de passar pela transição capilar, você vai se apaixonar pelo cabelo cacheado curto, vai perceber toda a feminilidade que ele tem. E vai inspirar dezenas, centenas, m-i-l-h-a-r-e-s de outras garotas a também enfrentarem esse processo, um verdadeiro mergulho dentro de si em busca do autoconhecimento e da autoaceitação. E aí, tudo vai ter valido a pena.

Livre-se de pessoas tóxicas

As pessoas que fazem piada de você não são suas amigas. Você não precisa manter elas por perto para se sentir pertencente. Vai demorar, mas você também vai aprender a se afastar de pessoas tóxicas e manter por perto só quem te quer bem de verdade. Isso também é se respeitar e se amar.

Foto: reprodução | Instagram @gabivasconcellosv

E sabe aquela música que te faz chorar quando cantam para te magoar? Hoje ela enche seu coração de orgulho e alegria. Você até tatuou uma frase na sua panturrilha. “Tua pele, tua luz, tua juba”. É, você virou um verdadeiro gibi aos 25 anos. Tatuagem é o que não falta. Bem como você imaginava.

O mais importante: você é muito, muito feliz. Realizada profissionalmente, apaixonada por si mesma e rodeada só de quem te faz bem. Então, fica tranquila. Você vai florir.

Continuar lendo