Colorir os cabelos na gravidez: pode ou não pode?

Amanda Miquelino | 14 junho 2016

É permitido colorir os cabelos na gravidez? Saiba quais são os riscos e quais são as alternativas para manter a beleza durante os nove meses.

Pré-natal, exames, alimentação, enxoval, o quarto do bebê… Durante a gestação as preocupações das mulheres são inúmeras, mas isso não significa que elas vão relaxar com os cuidados com elas mesmas e a atenção com o visual do corpo e do cabelo. Algumas das principais dúvidas das gestantes – pelo menos das adeptas à tintura – estão relacionadas aos procedimentos químicos nos fios. O que é permitido e o que é proibido? Pode colorir os cabelos na gravidez? Vou precisar ficar com a raiz de outra cor aparente até que o bebê nasça?

Colorir os cabelos na gravidez: afinal, isso é permitido?

De acordo com ginecologistas e obstetras, nos primeiros três meses de gestação, qualquer tipo de coloração nos fios é proibida. Isso porque esse é o momento de maior fragilidade do feto, quando as estruturas básicas estão sendo formadas, o que aumenta o risco de má formações e abortamento. Então, no comecinho, vai ser preciso segurar um pouco os cabelos como eles estão.

Passado esse período, no entanto, não há um consenso entre os profissionais. Há médicos que aconselham não pintar os fios até o final da gravidez e aqueles que permitem que a mulher faça isso, em geral, a partir da 14ª semana, alguns chegam a indicar a tintura somente após a 20ª semana, desde que observadas algumas orientações e restrições.

Vai pintar? Observe os cuidados

Antes de qualquer coisa, é preciso deixar claro que qualquer procedimento nos cabelos durante a gestação deve ser comentado com o obstetra e validado por ele. Só assim será possível esclarecer todas as dúvidas e afastar quaisquer perigos.

No geral, quando a coloração é permitida a partir da 14ª semana de gestação, ela deve ser feita com todo cuidado e por um profissional de confiança. Elementos como amônia, acetato de chumbo e metais pesados em geral, por exemplo, devem ficar distantes da grávida, pois eles podem atravessar a barreira placentária e oferecer riscos ao bebê e também para a mãe.

Dessa forma, os tonalizantes livres dessas substâncias, após análise e liberação do médico, são permitidos, desde que na aplicação seja evitado o contato com a raiz e com o couro cabeludo.

O mesmo cuidado de colorir os cabelos na gravidez deve ser tomado com as luzes, que estão liberadas se forem feitas com água oxigenada e com a técnica da touca, que protege a pele.

Vale lembrar que os procedimentos devem ser realizados em um ambiente bem ventilado, porque a inalação durante o processo pode causar mal estar na gestante

Outras opções

Para quem prefere não arriscar ao colorir os cabelos na gravidez, a coloração com henna pura pode ser uma opção. No entanto, é preciso saber que a durabilidade da hena não é a mesma de outros tipos de colorações. Ela também pode não ser tão eficaz na cobertura de fios brancos.

Além disso, é preciso ler atentamente o rótulo do produto, já que alguns fabricantes costumam adicionar ingredientes para potencializar o poder de tintura. Desconfie se o cosmético prometer cabelos escuros. Na verdade, a hena proporciona coloração marrom avermelhada. Além disso, é importante fazer um teste, no pulso, por exemplo, para verificar a possibilidade de alergia.

Uma alternativa para quem quer disfarçar a cor diferente entre raiz e o comprimento dos fios é abusar dos acessórios de cabelo, como lenços, turbantes e chapéus, que, além de esconderem a tonalidade diferente, ainda conferem um charme extra ao visual da grávida.

Dicas de produto

Para aumentar o brilho e a força do cabelo antes, durante e depois da gravidez, aposte em shampoo e condicionador fortificantes, como o Shampoo Keratin Smooth, de TRESemmé, e o Condicionador Advanced Hair Series Vitality Rejuvenated, de Dove. Finalize a etapa de cuidados desembaraçando os fios com Creme Leave-in Emergencée, de Nexxus.

Insira um @ no email informado
Você agora está inscrito na newsletter de All Things Hair.