Alisante de cabelo: entenda como ele age no fio

Amanda Miquelino
modelo de como fazer ondas vintage, passo 5

Entenda como o alisante de cabelo age no fio e saiba como se proteger dos efeitos colaterais.

O alisamento é uma prática muito comum entre as mulheres brasileiras, entretanto, poucas sabem como realmente o alisante de cabelo age nos fios. A estrutura dos cabelos é formada, entre outras coisas, por um elemento chamado de ponte de dissulfeto, que é responsável por determinar a textura do fio. Em outras palavras, é a quantidade de dissulfeto que dirá se um bebê terá fios lisos, crespos, ou cacheados. E é exatamente aí que esse tipo de química mexe.

Entenda como age o alisante de cabelo

De modo geral, quanto mais pontes de dissulfeto um cabelo possui, mais crespo será o fio; ao passo que, quanto menos pontes, mais liso o cabelo será. Vale explicar que as pontes de dissulfeto são formadas por átomos de enxofre, que se ligam para formar o elemento e é, justamente aí, que o alisante de cabelo entram em cena.

Para mudar a estrutura do cabelo e acabar com os caracóis, o alisante de cabelo faz com que os átomos de enxofre da ponte de dissulfeto se soltem ao máximo, conseguindo o efeito liso. O quão esse fio será liso, contudo, depende da estrutura do cabelo e do composto químico utilizado para alisá-lo.

São diversos os compostos químicos que possuem a capacidade de alisar os fios, porém três deles são os mais famosos: o hidróxido de sódio, a guanidina e o tioglicolato de amônia.

Os compostos campeões

Também conhecida como soda cáustica, o hidróxido de sódio é, dos três, o composto mais forte, que apresenta o resultado mais duradouro e, talvez por isso, o mais utilizado nas mulheres que possuem o cabelo do tipo 4c, ou seja, mais crespos. No entanto, valo o alerta: é essa a substância que possui mais potencial para causar acidentes, como queimaduras no couro cabeludo.

Com ação menos potente do que o hidróxido de sódio, a guanidina também é utilizada para alisar os cabelos. Porém, é preciso aumentar a vigilância com o uso de produtos que contenham amônia, especialmente em procedimentos químicos futuros. Os dois elementos são incompatíveis, sob risco de corte químico.

Tioglicolato de amônia: o mais caro e também o mais utilizado no Brasil, ele age de maneira um pouco diferente do que a guanidina e o hidróxido de sódio. Ele remodela os fios permitindo o alisamento e outras químicas, como o relaxamento e o permanente afro. O tioglicolato é mais indicado para quem possui ondulação.

Cuidados com alisante de cabelo

Independentemente do composto escolhido para alisar os seus fios, o cabelo alisado pode ficar ressecado, quebradiço e sem brilho. Para evitar que isso aconteça e manter a saúde e beleza dos fios, basta adotar na rotina alguns cuidados.

Ao lavar os fios, opte por um shampoo indicado para cabelos quimicamente tratados, de preferência com ph menor que sete. O condicionador deve ser da mesma linha e aplicado somente no comprimento dos fios, nunca na raiz.

Outro cuidado essencial é o de manter a frequência das hidratações. Elas devem ser feitas uma vez por semana em casa com ampolas ou máscaras de tratamento e, ao menos, uma vez por mês no salão.

Dicas de produto

Para deixar seu cabelo liso sempre lindo e saudável, aposte em produtos específicos para cabelos com química, como o Shampoo Recuperação Extrema, de Dove,  e Condicionador Selagem Capilar Crespo Química, de TRESemmé. Para as hidratações semanais, vá de Creme de Tratamento Recarga Natural Força Anti-quebra, de Seda.