Alexandra Gurgel: “Amo demais viver e essa maravilha que se chama tempo”

Saiba mais sobre a emocionante trajetória da youtuber!

A internet foi a ferramenta encontrada por Alexandra Gurgel para passar mensagens de autoestima e amor-próprio para o mundo. A inspiração veio da sua experiência, já que viveu na pele muito preconceito. Mas, para a nossa sorte, tudo isso só a deixou mais forte para ajudar outras pessoas que também sofrem com a gordofobia e baixa autoestima, tudo isso de forma alegre e descontraída. Essa mulher incrível ainda é cheia de estilo e ousa também nas cores do cabelo. Quer saber mais sobre ela? Leia a entrevista exclusiva e emocionante.

ATH entrevista Alexandra Gurgel

modelo de Alexandra Gurgel
Foto: Reprodução/Instagram @alexandrismos

All Things Hair: Hoje você tem uma ótima relação com o seu corpo. Sempre foi assim?

Alexandra Gurgel: Não. Sempre fui gorda, desde neném. Aos 9 anos fui na minha primeira consulta médica com um endocrinologista para emagrecer. Fiz vigilantes do peso, tomei remédios fitoterápicos… Quando estava lá por meados dos 13/14 anos, comecei a comprar diuréticos e laxantes escondida da minha mãe porque não podia comprar medicamento controlado. Tentei todas as dietas loucas que você pode imaginar, até ficar sem comer, mas não conseguia. Tentei ser bulímica, anoréxica, mas nada disso funcionava e eu me frustrava com tudo. Queria conseguir ser assim, sabe? Como não conseguia, me afundava nas dietas loucas. Em 2012, ganhei uma lipoescultura no corpo todo + silicone e aceitei. O médico tirou 9 litros de gordura do meu corpo, mais do que o permitido. Eu fiquei beeeem magra (paro meu tamanho de antes), mas algo em mim estava errado e, 3 meses depois, tentei me matar. Como não obtive sucesso,  voltei a engordar e entrei no ciclo de dietas + laxantes + diuréticos de novo… Mas algo em mim não estava certo, por dentro, sabe? Fiz terapia e, em 2015 comecei a mudar a mente com a “chegada” do feminismo na minha vida. Ou seja, tem apenas dois anos que me libertei dessas amarras todas e, mesmo assim, ainda hoje me vejo reproduzindo algo do passado. É normal, afinal de contas, 26 anos da minha vida foram vividos dessa forma, mas é uma libertação que não tem preço que pague.

ATH: Como surgiu a ideia de usar a internet para tratar sobre assuntos como body positive, amor-próprio e autoestima?

Alexandra Gurgel: Então, foi justamente em 2015. Comecei a me deparar com os assuntos do feminismo e ser feliz à sua maneira é uma máxima, ser livre, ser quem você quer ser. Isso tudo mexeu demais comigo, mas ao meu redor eu não tinha pessoas para discutir o assunto. Decidi criar o canal Alexandrismos para encontrar semelhantes e o mais legal é que se você vir meu vídeo em ordem cronológica você nota, claramente, minha evolução. Digo sempre que foram os vídeos que me salvaram, a câmera foi minha maior terapeuta, foi onde eu fiz questionamentos para mim mesma e, consequentemente, para o público. Eu sentia necessidade de falar desses assuntos porque eu passava por isso e, como eu sabia que pessoas iam ver os vídeos, eu buscava sempre uma solução, que acabava sendo a minha, obviamente. Comecei a falar muito de amor-próprio em 2016, fiz a Maratona do Amor-próprio, e isso realmente foi uma mudança de chave na minha vida. Todos os assuntos relacionados a essa temática surgiram naturalmente, como acontece até hoje. É para provar que estamos sempre em constante evolução e em processo de desconstrução de padrões e paradigmas.

modelo de Alexandra Gurgel
Foto: Reprodução/Instagram @alexandrismos

ATH:  Para você, ainda falta representatividade da mulher gorda? O que acha que precisa melhorar esse cenário?

Alexandra Gurgel: Falta muito. Mas já estamos caminhando. Infelizmente, ainda não vemos na grande massa as gordas sendo representadas em papéis que fogem ao estigma de “engraçada”, “simpática”, “virgem”… é SEMPRE assim. Quero ver gordas vivendo na sociedade normalmente, sabe? No exterior, isso já acontece há um tempo, mas aqui ainda falta um bom chão. Falta melhorar em tudo, mas sinto que principalmente na televisão aberta, nos comerciais, nas novelas, nos filmes brasileiros… Porque é o que a grande massa está vendo, sabe?

ATH: Como você se sente sabendo que o seu trabalho e conteúdo inspiram tantas pessoas? Como é o retorno do seu público?

Alexandra Gurgel: Eu me sinto maravilhosa. Sério, quando recebo mensagens de pessoas que me disseram que voltaram a acreditar na vida depois dos meus vídeos, que se sentem bem consigo mesmas, que agora se amam e se gostam, isso é revolucionário. Eu recebo dezenas de mensagens todos os dias, sempre choro, sempre agradeço, principalmente à força maior que não me deixou morrer naquela vez lá que tentei suicídio, pois a minha existência faz muito sentido na vida dessas pessoas e eu acredito, piamente, na vida. Viver é uma loucura, se eu falasse pra Alexandra de 2012 que em 2017 ela estaria mudando a vida de algumas pessoas, vivendo dos vídeos que ela faz no Youtube… Eu ia dar risada! Sabe? Amo demais viver e essa maravilha que se chama tempo. Eu lido com meus seguidores de perto mesmo, amo fazer lives para interagir mais, respondo comentários, e-mails, dms e inbox (ao máximo) e quero muito ter contato com eles em encontrinhos, etc. Essa é a melhor parte disso tudo!

modelo de Alexandra Gurgel
Foto: Reprodução/Instagram @alexandrismos

ATH: Você posta conteúdo semanalmente no seu canal do Youtube. Como acontece a escolha dos temas?

Alexandra Gurgel: Muito vai dos assuntos que eu falo sempre, como corpo, body positive, saúde mental, relacionamentos e agora cabelo. Mas meus seguidores são muito presentes e essenciais na escolha dos temas.

ATH: Seus cabelos coloridos são um show à parte e você já ostentou várias cores incríveis. Como é a sua rotina de cuidados para a manutenção da cor? Qual a sua cor preferida?

Alexandra Gurgel: Olha, acabei de pintar meu cabelo todo de azul! (risos). Faço cronograma capilar, alterno as lavagens entre hidratação, reconstrução e nutrição. Mas também evito bastante usar ferramentas de calor, como secador, chapinha e modelador de cachos. O secador é o que eu mais uso porque detesto ficar de cabelo molhado, mas só seco, sem alisar, e uso muuuito protetor térmico, sempre! Evito lavar todos os dias, lavo a cada 3 dias e, para evitar/controlar a oleosidade, principalmente da franja, durante esse espaçamento de lavagens, eu uso shampoo seco. AMO shampoo seco. Evito também ficar passando sempre a mão no cabelo, o que dá mais oleosidade, e só penteio quando lavo. Minha cor preferia é a que eu estou agora, azul turquesa, bem sereia! (risos)

modelo de Alexandra Gurgel
Foto: Reprodução/Instagram @alexandrismos

ATH: Você sempre muda a cor do seu cabelo. Você mesma realiza a coloração? Quanta cores diferentes você já usou?

Alexandra Gurgel: Eu mesma que faço. Fui editora de site de cabelo durante três anos, tive que fazer curso de cabeleireira, então entendo bastante do assunto. Faço todo processo em casa, inclusive cortes também. Eu já usei verde, rosa, roxo e agora o azul turquesinha!

ATH: Como é a sua rotina de cuidados capilares para manter os fios sempre bonitos?

Alexandra Gurgel: Já falei um pouco sobre, mas além disso, também NUNCA durmo de cabelo molhado, não uso nenhum tipo de produto na raiz que não seja shampoo seco, e mesmo assim bem pouco para não obstruir nada, e tento ficar de cabelo solto a maior parte do tempo para evitar danos mecânicos. Como meu cabelo é aquele ondulado sem forma, quase cacheado, eu sempre faço assim: lavo com shampoo que tiver (não ligo muito para isso, mas prefiro os liberados, inclusive uso a linha TRESemmé Baixo Poo + Nutrição), uso uma das máscaras que tenho do cronograma (nutrição/hidratação/restauração) e, quando saio do banho, seco com a toalha (sem esfregar, porque causa atrito, gera frizz e ferra tudo) e já aplico o protetor térmico. Seco com o secador realmente de qualquer jeito, só para ficar seco mesmo, modelo apenas a franja. Daí sento na penteadeira, pego meu creme de pentear, aplico e penteio o cabelo todo. Divido em duas partes e faço duas tranças, deixando por um tempo. Depois eu solto as trancinhas e faço dois coques, deixo por um tempo. Depois o cabelo está mara, modelado, com definição, messy do jeito que eu gosto, e sem usar modelador de cachos, chapinha ou escova.

modelo de Alexandra Gurgel
Foto: Reprodução/Instagram @alexandrismos

ATH: A sua franja curtinha é um verdadeiro charme. Você tem algum truque para domá-la em um bad hair day?

Alexandra Gurgel: Não curto a palavra domar, deixo ela viver! (risos) Modelo ela no secador e, se estiver muito oleosa, shampoo seco nela! Dependendo, lavo só a franja e seco de novo, mas gosto dela messy, bagunçacinha também… Quase nunca a prendo pra trás. Antigamente usava grampo etc, hoje deixo ela ser feliz! (risos)

ATH: O que você diria para as leitoras que, por algum motivo de insegurança, não ousam mudar o visual da maneira que desejam?

Alexandra Gurgel: Cara, se você quer muito alguma coisa, faça! Não deixa para amanhã porque você nem sabe se terá amanhã, saca? Faz agora, muda agora, viva o agora! Não espere o momento perfeito, viva e seja feliz, meu amor!

modelo de Alexandra Gurgel
Foto: Reprodução/Instagram @alexandrismos

Sugestão de produtos

Para realizar uma lavagem suave, porém, eficiente, aposte na dupla de Shampoo TRESemmé Baixo Poo + Nutrição e Condicionador TRESemmé Baixo Poo + Nutrição. Os produtos são indicados para quem busca uma rotina de cuidados dos cabelos mais delicada, com produtos mais suaves e menos agressivos.

Complete a lavagem com o Creme De Tratamento Dove Advanced Hair Series Regenerate Nutrition, que garante a selagem das pontas danificadas e reconstrução da fibra capilar deixando os fios com aspecto saudável e natural.