Melhor hora para o big chop: como saber que o momento chegou?

Aline Bibiano | 13 outubro 2018

Quanto mais os fios crescem durante a transição capilar, mais forte é a vontade de se livrar da parte que ainda tem química.

Tudo começa coma decisão, a decisão de assumir os fios naturais. A partir desse momento a melhor hora para o big chop depende de pessoa para pessoa. Em alguns casos a transição nem existe e raspar careca é a melhor opção. Para outras, quanto maior o cabelo, mais confiança para abandonar de vez as pontas lisas com química.



Melhor hora para o big chop: sugestão de profissional



O hairstylist Sol, do Retrô Hair, conta que pensando na saúde dos fios desde o início é melhor fazer o grande corte o quanto antes. “O ideal seria cortar tudo e tirar toda a química com menos de 5 meses de crescimento. Assim, o peso em excesso da parte lisa não atrapalha o crescimento e não deforma a textura do crespo”, explica Sol. Mas a melhor hora para o big chop é a sua hora!

Bianca Castro

Foto: reprodução | Instagram @cnbia

A influencer Bianca (@cnbia) decidiu que para ela a melhor hora para o big chop seria com menos de 12 meses de transição. “Decidi passar pela transição porque nasceu em mim uma vontade enorme de saber como era meu cabelo natural – alisava desde os 4 anos de idade. A transição não foi fácil, lidar com um cabelo que eu não conhecia, as duas texturas, o volume fora de controle, tudo isso me deixava muito pra baixo. Foi um período de zero autoestima, mas apesar de tudo, sabia que precisava continuar, devia isso a mim mesma. E depois de 10 meses, decidi que esse seria o momento perfeito para o big chop. Cortar o cabelo curtinho significou acabar com uma vida inteira de alisamento, foi marcar o fim de uma fase para que eu pudesse começar outra. A transição me mudou de dentro pra fora. Aprendi a valorizar as pessoas e não suas aparências. E o que eu mais odiava em mim (meu cabelo), hoje é motivo de orgulho”, conta Bianca.

Lucineide Carvalho da Silva

Foto: arquivo pessoal

A professora Lucineide Carvalho da Silva conviveu por anos com seus cabelos alisados por uma questão de aceitação social. Hoje, livre dessas amarras, ela conta como chegou no seu melhor momento para o big chop. “A minha aceitação começou a partir da frase: representatividade importa. Comecei a observar o quanto as mulheres negras estavam assumindo cada vez mais os black powers e aquilo começou me incomodar de uma forma positiva. Me sentia incomodada por não saber qual a verdadeira textura do meu cabelo. A partir disso resolvi assumir o natural e não foi fácil, posso dizer que foi até doloroso. Ter duas texturas não é fácil, até que chegou o meu momento. E isso aconteceu depois de um ano, essa foi a melhor hora para o big chop. Foi uma libertação e um mix de sentimentos. Aprendi cuidar do meu afro e ama-lo cada dia mais”, relata Lucineide.

Sugestão de produtos

Durante a transição use produtos altamente hidrantes, a nova textura é naturalmente ressecada. Invista na dupla Shampoo Seda by Rayza Babosa + Óleos e Condicionador Seda By Rayza Babosa + Óleos, que ajuda a hidratar e a manter a umectação dos fios.

Para finalizar os fios e ajudar ainda com Creme Para Pentear Seda Boom Transição, que tem fórmula com  óleo de Argan e biotina e colabora na hidratação dos cabelos, deixando-os mais saudáveis, fortes e cheios de vida, da raiz às pontas.

Continuar lendo