Nem mais, nem menos: o jeito ideal de fazer luzes no cabelo

Amanda Luz | 26 abril 2016
×

Fazer luzes é uma das alternativas mais procuradas quando se quer mudar o visual de maneira natural e sutil. Escolha o processo ideal e bom cabelo novo!

Pensa em mudar algo no sua aparência, mas não quer nada muito drástico? Fazer luzes no cabelo é uma das maneiras mais naturais e leves de iluminar os fios. Democráticas, elas combinam com qualquer cor de cabelo – e não apenas com as loiras, como muitos costumam pensar. Contudo, assim como qualquer processo de coloração, é preciso alguns cuidados essenciais, tanto para não deixar as madeixas ressecadas demais quanto para não correr o risco de exagerar no clareamento das mechas. Antes de aderir ao novo look, descubra também quais são e como funcionam os diferentes processos usados pelos cabeleireiros para conquistar as tão desejadas luzes no cabelo. Assim, vai ficar bem mais fácil eleger o grau de luminosidade dos seus fios!

Bê­-á­-bá das luzes no cabelo

O objetivo das luzes no cabelo é iluminar, clareando mechas finas – entre 2 cm e 3 cm de espessura – e respeitando a cor base dos fios, que deve ser compatível com a nova coloração. “Para um resultado mais natural, as luzes ficam, geralmente, apenas dois ou três tons acima da cor original. Mas não existe muita regra: às vezes, o contraste também é boa opção”, afirma Sandro Cassolari, cabeleireiro do salão Square Hair, em São Paulo.

Assim como acontece com as mechas, as luzes podem ser feitas com touca, papel laminado e à mão livre. Antigamente, a técnica mais comum era a de clarear sempre desde a raiz, utilizando a touca. “Mas a opção caiu um pouco em desuso, porque existe o risco de, na hora do retoque, você acabar clareando também mechas diferentes de cabelo”, explica Sandro. Como resultado, em vez de uma repaginada sutil no visual, a mulher acaba ficando muito mais loira do que esperava.

Segundo ele, o método do papel laminado e o processo feito a mão podem ser utilizados nas técnicas mais modernas: o segredo está em começar a tingir os fios a partir do meio do comprimento e seguir até as pontas, deixando a raiz livre de coloração. “O look fica mais moderno, sem um efeito tão marcado, e não exige um retoque tão frequente”, completa o profissional. A visita ao salão pode ser feita com um espaçamento de três a cinco meses.

Para fazer as luzes no cabelo, o papel laminado funciona como agente acelerador do processo de coloração. Uma das técnicas que Sandro recomenda para conquistar mechas naturais com ênfase nas pontas é eriçar os fios até a raiz e prendê-­los com grampos, deixando o papel só na parte que sobra de comprimento. Luzes como as californianas e ombré hair, por exemplo, podem ser feitas dessa maneira.

Luzes no cabelo como a balayage (também chamada de balaiagem), por sua vez, são feitas obrigatoriamente à mão livre. “Como em uma tela de pintura em branco, o cabeleireiro vai pincelando a nova coloração no cabelo”, explica o hairstylist. Dessa forma o efeito é mais intenso do que o anterior. Há ainda um terceiro processo, famoso por estar estampado nas madeixas de famosas, que mistura vantagens das duas técnicas anteriores: a novíssima flamboyage. O cabeleireiro usa um adesivo plástico para envolver os fios a serem coloridos, o que garante um resultado mais leve do que a balayage, mas com pontas tão claras quanto no ombré hair.

Hidratação em tons de roxo

Como todo processo de coloração, as luzes também danificam o cabelo, principalmente no quesito hidratação. “Por isso, tratamentos semanais com produtos emolientes – como máscaras e ampolas de tratamento – são mais do que bem-­vindos”, diz Sandro. A Ampola De Tratamento Dove Reconstrução Completa, o Creme De Tratamento TRESemmé Expert Detox Capilar e a Máscara De Tratamento Nexxus Oil Infinite são boas alternativas.

Além disso, o cabeleireiro recomenda o uso de produtos específicos para cabelos coloridos e, em especial, do shampoo desamarelador denso e profundo, aquele roxo feito exclusivamente para cabelos loiros. Seu uso semanal vai ajudar a preservar a cor luminosa conquistada no salão.