Cuidados com o permanente afro antes e depois de fazê-lo

Entenda quais são as vantagens, as desvantagens e os cuidados que você deve ter com o cabelo com permanente afro antes e depois.

O permanente afro é uma técnica feita por muitas mulheres que têm o cabelo crespo, mas sentem dificuldade na hora de modelar e definir os cachos. O tratamento, feito com produtos químicos, formata os cachos e os mantém assim por um certo período de tempo, até quando eles começam a voltar à textura original. Aí, é hora de fazer um retoque. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados com o permanente afro antes e depois. Entenda mais sobre o procedimento e saiba o que fazer, tanto para proteger os fios antes da aplicação, como para manter o efeito por mais tempo.

Cuidados com o permanente afro: antes e depois

O primeiro ponto a ser analisado é: será que seu cabelo suporta um permanente afro? Por ser um tipo de química, o processo é agressivo e pode causar danos a fios fragilizados ou que já tenham algum outro tipo de tratamento, com componentes incompatíveis.

Existe até o risco que de corte químico, que é quando os cabelos se partem por conta da reação de dois ou mais produtos.

Na maior parte das vezes, quem opta pelo permanente afro tem fios crespos que, por natureza, já são mais frágeis. Os cabelos tipo 4A, 4B e 4C possuem ângulos bem marcados, o que dificulta o deslizamento da oleosidade produzida no couro cabeludo até as pontas. Isso torna o fio mais ressecado. As cutículas, a camada externa, responsável pela proteção da haste, também possui falhas, o que causa sensibilidade.

Se os cabelos já tiverem algum tipo de química, como coloração ou alisamento, é fundamental informar ao profissional que vai realizar o permanente afro antes. De preferência diga a ele exatamente quais tipos de produtos foram utilizados nesses procedimentos prévios. Assim, é possível saber se há compatibilidade ou não.

Para evitar tragédias, um teste de mecha é fundamental. Peça para o hair stylist aplicar o produto usado para o permanente em uma pequena parte dos cabelos, perto da nuca, para saber qual será a reação. Se acontecer algo errado, é mais fácil corrigir só ali, do que no cabelo todo, certo?

Um mês antes de investir no permanente, siga o cronograma capilar e intensifique a rotina de hidratações, nutrições e reposições para fortalecer os fios. Assim, há uma garantia maior do que eles resistirão ao processo.

Depois do permanente feito, é hora de cuidar da manutenção. Continue com os cuidados intensivos do cronograma capilar, focando, principalmente, nas restaurações. Certifique-se também de usar produtos específicos para cabelos com química. Assim, dá para manter o efeito por mais tempo. Evite o uso excessivo de ferramentas como o secador e o modelador de cachos e, quando for impossível, não se esqueça do protetor termoativado.

Como o permanente afro é feito

Já sabe de todos os cuidados com o permanente afro, antes e depois? Agora é hora de entender o “durante”. O permanente começa com a aplicação de um shampoo antirresíduos para retirar as impurezas dos fios, que podem prejudicar o resultado.

Depois do enxágue, o cabelo é dividido em mechas e o hairstylist aplica um produto que vai relaxar os fios. Após o tempo de ação, ele é retirado com água. Então, é a vez do produto que vai ajudar na ondulação.

Cada mecha é enrolada com um bigudinho e a cabeça é coberta com uma touca plástica. De novo, é preciso aguardar de 20 a 30 minutos para fazer efeito. Então, vem um outro enxágue e a aplicação de uma hidratação. Aí, é só retirar o creme e secar como preferir. O efeito dura de três a quatro meses, dependendo do cabelo e do produto usado.

Dicas de produtos

Para deixar seus cachos mais definidos depois do permanente afro, procure por produtos específicos para seus cachos. O Spray Texturizador TRESemmé Expert Perfeitamente (Des)arrumado ajuda a dar textura aos seus fios. Outro produto que auxilia na definição dos cachos é o Creme Para Pentear TRESemmé Cachos Perfeitos. E o Creme Leave-in Nexxus Emergencée deixa seu cabelo mais macio e reduz o frizz.

(Artigo publicado originalmente em MeuCrespo.com.br)