Cabelos em transição: fazer ou não big chop?

All Things Hair | 16 maio 2016

Já pensou em abandonar as químicas e assumir os cachos naturais? Conheça melhor como ter e cuidar dos cabelos em transição. 

Cada dia mais mulheres abrem mão dos alisamentos, escovas progressivas, relaxamentos, secadores e chapinhas e partem de volta rumo aos cachos naturais. Porém, essa jornada às origens pode ser longa e trabalhosa e, estar com os cabelos em transição levanta desafios que envolvem autoestima e trazem à tona dúvidas sobre como lidar com os fios de formato ainda indefinido e aspecto fragilizado.

Cabelos em transição: adeus, chapinha! Olá, hidratação!

Para voltar aos cachos, não basta parar de fazer o alisamento químico. Os procedimentos usados para deixar os fios lisos artificialmente costumam ser agressivos e o cabelo precisa de cuidados para retomar a saúde e formar cachos bem definidos.

“É preciso investir sempre (e muito) no tratamento em casa, onde o cabelo passa a maior parte do tempo sendo tratado”, aconselha o cabeleireiro Fernando Paolo, especialista em cabelos crespos do Studio Fernando Fernandes, em São Paulo.

O expert recomenda o uso de shampoos, condicionadores e máscaras especiais para cabelos cacheados, que devem ser usadas uma ou duas vezes por semana, assim como leave-ins e modeladores de cachos. “É fundamental evitar a escova já que o excesso de calor acaba esticando o fio e aumentando o dano”, acrescenta Paolo. Portanto, evite a tentação de recorrer ao secador para igualar a textura crespa da raiz com o comprimento ainda liso.

Já a jornalista Denise de Almeida, de São Paulo, que fez sua última progressiva há dez meses e está voltando aos cachos desde fevereiro, tem testado vários produtos para transformar seus fios que ainda estão com resquícios do alisamento e, entre suas experiências de sucesso está misturar os óleos vegetais de tratamento capilar às máscaras de tratamento.

No salão, Fernando Paolo recomenda hidratações profundas e tratamentos super reconstrutores, como cauterizações e nutrições. “Eles devolvem aminoácidos, vitaminas, antioxidantes e toda parte nutricional aos fios”, diz.

Segundo ele, é imprescindível realizar tratamentos em estúdios, com linhas de produtos profissionais, de uma a duas vezes por mês, pois esses produtos têm maior poder de reconstrução e qualidade superior aos de uso doméstico.

Big chop: fazer ou não fazer o corte radical?

Quem opta por colocar os cabelos em transição tem duas opções:

  • Fazer um corte radical, bem curtinho, para eliminar de uma só vez todos os fios alisados, numa técnica popularmente conhecida como big chop (grande corte, em tradução literal).
  • Ter paciência e lidar com o processo de crescimento padrão que deixa os cabelos com duas texturas: crespa na raiz, lisa no comprimento e nas pontas.

As duas saídas têm impacto direto na autoestima feminina, seja pela mudança brusca de visual ou pelo incômodo de manter os fios com aspecto pouco definido.

O cabeleireiro Fernando Paolo indica cortes regulares para quem opta por fazer o processo gradual. “É preciso manter o tempo regular entre os cortes (de dois a três meses) para ir eliminando a parte antiga”, recomenda.

“Não tive coragem de fazer o big chop, por isso fui cortando aos poucos para tirar as pontas alisadas, confesso que tinha um pouco de apego ao comprimento”, conta a blogueira de Cuiabá.

O mesmo está acontecendo com a jornalista. “Sempre tive medo de uma mudança tão radical e nunca achei que cabelo curto combinava comigo”, diz Denise, que não cogitou fazer o big chop. “Há apenas 20 dias, eu cortei bastante para tirar grande parte do que estava mais danificado (e com outra textura), e isso já foi bem complicado para mim. Meu cabelo sempre foi longo desde os meus 10 anos e, de repente, ele estava acima dos ombros. Fiz porque era necessário, mas foi o passo mais difícil pra mim”, confessa.

Dando forma aos cachos no período de cabelos em transição

Se, assim como nossas entrevistadas, você não pensa em recorrer ao corte curtinho, saiba que existem formas de finalização para ajudam a modelar os fios durante o processo de transição. A mais importante delas é amassar cuidadosamente os cabelos usando um leave-in depois de lavá-los.

Dicas de ouro: a jornalista Denise de Almeida tem seguido essa técnica e entrega o passo a passo que é o segredo dos seus novos cachinhos. “Após aplicar os produtos, retiro o excesso de umidade com uma camiseta velha (para evitar o frizz causado pela toalha), amassando os cachos, e deixo secar naturalmente. Depois de seco, tento separar algumas mechas que ficaram mais unidas e amasso de novo com as mãos, para quebrar o efeito ‘durinho’. No dia seguinte, eu umedeço um pouco o cabelo e uso um pouquinho de creme diluído na água, amassando os cachos para eles voltarem à forma”, ensina.

“Quando for ao salão, seja para cortar ou hidratar o cabelo, é importante que a cliente converse com o profissional para que ele explique técnicas que amenizam os problemas e dê dicas específicas para o tipo de cabelo que ela tem”, aconselha o especialista Fernando Paolo.

Dicas de cabelos crespos

Para recuperar os fios danificados, indicamos o Creme De Tratamento TRESemmé Keratin Smooth, que foi formulado para atender as necessidades dos cabelos ressecados e com frizz. O Máscara De Tratamento Nexxus Emergencée ajuda a restaurar a barreira protetora do seu cabelo e reconstruir a força enquanto mantém seu movimento natural. E a Ampola De Tratamento Dove Reconstrução Completa possui agente hidratante que penetra no interior da fibra e fortalece os fios. Fica a dica!

(Artigo publicado originalmente em MeuCrespo.com.br)

Insira um @ no email informado
Você agora está inscrito na newsletter de All Things Hair.