Grávidas podem fazer alisamento capilar? Especialista responde

Alisamento capilar durante a gestação é um tema bastante delicado. Descubra, a seguir, se é ou não permitido fazer esse tipo de procedimento na gravidez

Alisamento capilar e gravidez são dois fatores que, definitivamente, não combinam. As substâncias químicas utilizadas no procedimento são absorvidas pelo couro cabeludo e vão diretamente para a corrente sanguínea, podendo atravessar a placenta e prejudicar o desenvolvimento do feto. Todo cuidado é pouco! No entanto, existem algumas alternativas que as gestantes podem considerar, sempre com o aval médico, é claro. Descubra a seguir!

Alisamento capilar com formol e amônia está totalmente fora de cogitação. Mas, de acordo com Maurício Pupo, cosmetólogo e professor de cosmetologia, o uso da guanidina na gravidez (ativo alisante) é seguro e, desde que a substância seja utilizada corretamente e as instruções da embalagem sejam seguidas, não causa malefícios às grávidas”, afirma.

No entanto, há quem diga que a substância possa causar irritações severas na pele das gestantes, que costuma ficar mais sensibilizada. Por isso, não tome nenhuma decisão antes de conversar com seu ginecologista e cabeleireiro para avaliar a melhor opção para o seu momento.

Grávida pode alisar o cabelo com quantos meses?

Nenhum procedimento deve ser feito antes dos primeiros três meses de gestação, período delicado para a formação do feto, em que o crescimento das células é acelerado para formar os órgãos do bebê. Esse tipo de intervenção pode, inclusive, aumentar os riscos de má formação, como já mencionamos. “Por isso, recomendo que os alisamentos com guanidina só sejam feitos a partir do quarto mês de gravidez”, diz Pupo.

Mulher com cabelos longos e lisos

Quando a grávida pode fazer progressiva?

Gestantes e lactantes devem fugir de procedimentos como a escova progressiva. Isso porque ela contém formol, um ativo alisante que é muito maléfico para os fios e para a saúde no geral. A substância foi, inclusive, banida dos salões – ao menos dos mais responsáveis.

“O formol está proibido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e não pode ser mais usado em cosméticos. Em grávidas, o formol pode causar até má formação fetal”, alerta. O especialista também recomenda que sejam evitadas, tanto durante a gestação ou quanto no período de amamentação, outras substâncias tóxicas como as provenientes das tinturas de cabelo, dos cosméticos com parabenos e retinoides, entre outros.

Fique atenta!

Se você está grávida e gostaria de manter o alisamento capilar, primeiro busque o aval de seu médico obstetra e siga as recomendações ressaltadas pelo cosmetólogo. “Utilize sempre marcas consagradas e recorra a profissionais de confiança que possam garantir que o produto escolhido é completamente livre de formol”, aconselha. Tintas com amônia, metais pesados e outras substâncias químicas prejudiciais também não devem ser usadas nesse período.

E, sobretudo, não exagere nos procedimentos capilares, uma vez que até mesmo simples sprays fixadores podem causar problemas no feto quando usados em quantidades e frequências acima das recomendadas pelo fabricante.

Próximo

Sugestão de produtos

O shampoo e condicionador Dove Vita Força funcionam como um suplemento de vitaminas que agem dentro da fibra capilar para restaurar a saúde dos fios. Com consistência leve, é transparente e garante um cuidado suave.

 

Finalize a etapa de cuidados e desembarace os fios com o Creme de Pentear TRESemmé Hidrata, que é formulado com pantenol e aloe vera para hidratar, fortalecer raiz e comprimento, além de aumentar o brilho.

(Artigo publicado originalmente em MeuCrespo.com.br)