Cabelo afro: tudo o que você precisa saber sobre esse estilo

All Things Hair | 21 abril 2016

Mais do que a textura dos fios, o que define cabelos afros é a valorização da identidade negra, por meio de penteados, cortes e acessórios típicos. 

Quando se fala em cabelo afro, não se refere apenas à textura dos fios, mas a uma cultura que se expressa de múltiplas formas, incluindo penteados e cortes. Atualmente, diversos ícones de beleza representam o momento em que a beleza negra assume publicamente na mídia e cultura pop as características naturais de seus cabelos, beneficiando-se da textura e do volume que são suas marcas registradas.

Cabelo afro: uma expressão cultural

A liberdade de estilo de famosas e anônimas na atualidade é herança de uma luta por identidade e reconhecimento. São marcos desta história o black power, que, nos anos 1970, surgiu como uma forma de valorizar a cultura e o visual negro, assim como o uso da trança nagô, que ontem e hoje expressa o apreço pelas tradições africanas.

Segundo o especialista em cabelos cacheados e crespos, Wilson Eliodorio, de São Paulo, o Brazilian hair, como ele se refere à maior parte dos cabelos dos brasileiros, são desde ondulados leves (ou seja, 2ª, na divisão por categorias de texturas) até os crespos que formam cachos muito juntos uns aos outros desde a raiz (considerado, na mesma categorização, o 4C). “Aqui, dificilmente há o cabelo que é típico de muitos países africanos, aquele que tem dificuldade de crescimento e cuja linha da raiz é recuada, mais para trás da testa”, ensina.

Quanto mais cacheados ou crespos os fios, mais sensíveis eles serão. Aumentará também sua tendência à oleosidade na região da raiz do cabelo e ao ressecamento nas pontas. Isso ocorre, porque o formato espiralado do fio torna mais difícil a descida do óleo, desde o couro cabeludo por todo o comprimento, até as pontas do cabelo. Para corrigir, basta atenção à lavagem e à hidratação.

O expert Wilson Eliodorio comemora o fato de os cachos e crespos estarem libertos. “Quando vemos uma criança com seu cabelo enrolado natural, na rua, nem conseguimos imaginar a alegria e liberdade de alguém que vai crescer sem a obrigação de fazer alisamento para que seu cabelo seja aceito”, reflete. Wilson, entretanto, também alerta que não se deve substituir um tabu pelo outro. “Às vezes, vejo na internet alguém querendo obrigar os outros a deixarem de alisar os cabelos e isso não faz sentido. O certo é cada um fazer o que quiser”.

Cada vez mais, tranças e alisamentos são opções de estilo e não “recursos para esconder o cabelo”, como explica Wilson. Assim, muitas vezes, há preferência por alisamentos temporários – com o secador, em detrimento dos produtos químicos – para manter a versatilidade dos fios.

Assumindo o cabelo

Para quem está com vontade de assumir o cabelo afro, há vários produtos e acessórios que ajudam a compor o visual. Para a definição, cremes para pentear, máscaras e finalizadores potentes são indicados, assim como o uso do difusor para secar os fios. Para brincar com o volume, optando por maior ou menor intensidade, pentes-garfos e esponjas modeladores são boas pedidas. E, para o dia a dia, turbantes, lenços e acessórios aliados indispensáveis.

Sugestão de produtos: Para deixar seus cachos ainda mais incríveis, aposte em produtos específicos para esse tipo de cabelo. Combine, por exemplo, Shampoo TRESemmé Selagem Capilar Crespo Original e Condicionador Suave Mel E Amêndoa. Para desembaraçar o cabelo, opte por um creme de pentear com óleo vegetal na fórmula, como o Creme Para Pentear Seda Óleo Hidratação. Finalize com Óleo Dove Pure Care Dry Oil para se livrar do frizz.