As 7 principais causas da queda de cabelo feminino

Os fios estão caindo e você não sabe o motivo? Entenda quais são alguns fatores que podem causar a queda de cabelo feminino.

Você acorda pela manhã e no travesseiro estão vários fios… Ao pentear o cabelo, você olha e lá estão mais alguns incontáveis presos na escova… Ao lavar, os fios parecem “brotar” na sua mão… Como não se desesperar diante de uma queda de cabelo feminino fora do normal, certo? Mas, calma!

Esse não é um caso perdido, sem solução. Muito pelo contrário. No entanto, o que acontece é que são tantos os fatores que podem causar esse quadro que, muitas vezes, o grande desafio é identificar qual o seu caso.

Para a Dra. Denise Steiner, Coordenadora Científica da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Membro da Academia Americana de Dermatologia, entender as verdadeiras causas da queda é essencial para a prevenção e escolha do melhor tratamento. “O cabelo não deixa de ser um espelho que reflete a nossa saúde: se o organismo não está bem, é provável que os fios sofram o efeito disso”.

Pensando nisso, contamos com a ajuda da especialista para enumerar alguns dos principais problemas que têm como sintoma a queda de cabelo feminino. Confira:

1. Tabagismo

Vamos começar por um dos grandes vilões da saúde de qualquer pessoa: o cigarro. Se você é fumante e tem sentido uma queda de cabelo acentuada, saiba que não é por acaso. O que acontece é que, ao longo dos anos, o cigarro causa uma degeneração dos vasinhos que abastecem o couro cabeludo.

2. Alimentação

Sabe aquela velha frase “você é o que você come?”, pois é! Uma alimentação pobre só pode levar à queda de cabelo. Regimes restritivos, com perda de peso considerável em um curto espaço de tempo, também podem levar esse quadro.

“É muito comum que pessoas submetidas a cirurgias para emagrecimento percebam uma queda de cabelo cerca de três meses depois do procedimento. Além do emagrecimento drástico, uma alimentação com pouca proteína (peixe, carne, soja, etc) pode levar à queda de cabelo. É por isso que crianças desnutridas costumam ter pouco cabelo, com fios finos e claros”, explica Dra. Denise.

E atenção: O excesso de alimentos de alto índice glicêmico, como leite e seus derivados e também a vitamina A, podem levar à inflamação do organismo e ao aumento de oxidação, facilitando a queda de cabelo.

modelo de cabelo loiro de comprimento médio com queda de fios.
Após identificar a causa da queda de cabelo, fica muito mais fácil achar o tratamento ideal para combater esse sintoma.

3. Alterações hormonais

Durante a gravidez, é comum que o cabelo fique bonito, cheio e brilhante. Isso acontece porque há um aumento dos hormônios que ajudam muito na qualidade e estímulo do crescimento do cabelo. Já no pós-parto, porém, o quadro muda.

Com a redução desses hormônios, juntamente com o estresse e cansaço característicos desse momento, é normal que haja uma queda dos cabelos cerca de três a quatro meses após o nascimento do bebê.

Outras situações que interferem nos níveis hormonais também podem causar a queda. “O mesmo ocorre após períodos de grande tensão emocional, muito desgaste, cansaço, tristeza e ansiedade excessiva”, completa a especialista.

4. Doenças

Algumas doenças graves como câncer, AIDS ou lúpus; problemas hormonais como hipotireoidismo ou hipertireoidismo; doenças virais como dengue ou zika; e com níveis baixos de ferritina ou anemia, podem apresentar a queda de cabelo como sintoma.

O quadro, no entanto, é temporário: “Em cada caso, seja pela ação da doença ou pelas medicações utilizadas em cada tratamento específico, após a normalização do quadro ou no final do tratamento o cabelo deve voltar a crescer normalmente”.

5. Problemas no couro cabeludo

Há alguns processos inflamatórios localizados no couro cabeludo, como caspa, avermelhamento, descamação ou dermatite seborreica que também podem apresentar queda nos fios. “Um quadro ainda não totalmente caracterizado é a tricodinia, que significa dolorimento no couro cabeludo. Trata-se de uma doença crônica, em que a queixa de dor no couro cabeludo costuma estar associada à queda de cabelo”.

Para prevenir a caspa e manter o couro cabeludo saudável, a gente sugere a dupla Shampoo Anticaspa Clear Women Flor de Cerejeira e Condicionador Anticaspa Clear Women Flor de Cerejeira. Se quiser dar um boost na hidratação, invista também no Super Condicionador Seda Hidratação Máxima.

6. Medicamentos

A queda de cabelo feminino também pode estar associada ao uso de medicações de uso crônico, o que pode ocorrer cerca de três a quatro meses depois do início.

Entre esses medicamentos estão alguns para tratamento da convulsão, determinados antidepressivos e anticoagulantes, além dos medicamentos quimioterápicos para tratamento do câncer. “Nesses casos, é indispensável conversar com o médico para saber se o medicamento ingerido tem a queda dos fios como um dos possíveis efeitos colaterais”.

Outras medicações que também têm sido associadas à queda de cabelo são as utilizadas para tratamento de micoses na pele, alterações psíquicas, gastrite e drogas para redução acentuada de peso.

E mais: “a pausa no uso do anticoncepcional também pode influenciar no ciclo do cabelo. Durante essa mudança brusca nos níveis hormonais é frequente ocorrer o efeito rebote e queda de cabelo após a parada da pílula, tal como acontece no pós-parto”.

modelo fazendo escova no cabelo
O secador pode provocar queima do couro cabeludo e, assim, resultar na queda de fios.

7. Agressões externas

Apesar de ser comum a associação entre sol e danos na pele, também é importante saber que, em excesso, o sol também pode agredir os fios devido à radiação ultravioleta, provocando queimaduras, oxidação e inflamações que afetam o ciclo capilar.

“Assim, é comum que ocorra a queda cerca de dois ou três meses após uma exposição solar muito intensa. O calor excessivo e crônico no couro cabeludo e nos fios tende a danificar a cutícula, ressecar as hastes e promover mais chances de quebra, especialmente em cabelos quimicamente tratados, afros ou no período pós-menopausa”.

O uso de secador ou prancha em altas temperaturas é uma causa comum da fragilidade dos fios e, se forem usados muito próximos da raiz dos cabelos, podem provocar queimaduras. Não é aconselhável, portanto, o uso muito frequente desses aparelhos.

Processos químicos como tinturas, alisamentos, relaxamentos, escovas progressivas e outros também podem causar danos nos cabelos e no couro cabeludo e, por consequência, ocasionar queda e quebra de cabelo. Uma dica para minimizar esses danos é usar a Máscara de Tratamento TRESemmé Reconstrução e Força, pelo menos um vez por semana.

Infográfico queda de cabelo feminino
.

Para finalizar, aposte em um produto que ajuda a manter os fios alinhados e hidratados. Nossa sugestão é o Creme de Pentear TRESemmé Revitaliza, que pode ser usado nos fios úmidos ou secos.