Cabelo durante a quimioterapia: mitos e verdades

All Things Hair
Mulher mostra como fica o cabelo durante a quimioterapia

Há formas de evitar que os fios caiam. E, se caírem, lembre-se de que eles sempre crescem de novo.

 

Ao receber o diagnóstico de câncer, entre tantas dúvidas, é comum uma mulher se perguntar como fica o cabelo durante a quimioterapia. O temor de perder os fios é um fator com forte efeito psicológico. E, ao contrário do que muita gente pode falar ou pensar, não é besteira se preocupar com isso.

Listamos os mitos e verdades sobre o cabelo durante a quimioterapia, para tranquilizar quem quer que esteja passando por essa situação. Temos em mente a paciente ou quem está em volta dela. O mais importante saber é: nem sempre o tratamento para câncer inclui quimioterapia. Nem toda quimioterapia faz os fios caírem. Se cair, ao final do tratamento, entre 3 e 6 meses o cabelo volta a crescer.

Mulher de cabelo curto loiro usa camisa xadrez
A touca gelada ajuda a poupar o cabelo das pacientes que fazem quimioterapia.

Cabelo durante a quimioterapia: o que você precisa saber

Os fios sempre caem durante o tratamento de câncer.

Mito. Há diferentes tratamentos para o câncer. Apenas a quimioterapia faz os fios caírem. “Dependendo de algumas medicações utilizadas nela, pode ocorrer a queda capilar, isso porque esses medicamentos geralmente afetam não só as células tumorais como também células normais que também apresentam multiplicação rápida: como as células do folículo do cabelo que produzem o fio”, explica o dermatologista Daniel Dziabas. Ou seja: quando o cabelo cai, é por um efeito colateral do medicamento.

A touca térmica, que resfria o couro cabeludo, ajuda mesmo a poupar os fios?

Verdade. Palavra do especialista: “A touca gelada foi testada e aprovada por especialistas da Europa e registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ela visa diminuir a ação da droga na raiz dos cabelos (folículos pilosos), pois ao diminuir a temperatura, reduz a chegada dos medicamentos ao couro cabeludo, minimizando ou retardando a queda de cabelos”, explica Daniel Dziabas. O procedimento, no entanto, é contraindicado em doentes com neoplasias hematológicas – como leucemias, linfomas e outras variações do que também se chama “câncer líquido”. Esses tumores podem dar mestástases para o couro cabeludo, por isso não é recomendado o uso da touca.

É verdade que é bom evitar lavar o cabelo diariamente, durante a químio.

Mito. O que faz o cabelo durante a quimioterapia cair é a ação do medicamento na raiz do fio. Uma vez que o medicamento provoque a queda, o cabelo vai se desprender mais cedo ou mais tarde.

O cabelo cai na primeira sessão de químio.

Mito. Os ciclos de quimioterapia variam para cada paciente e a reação do organismo também é individual. Quando queda mais acentuada vai se tornar perceptível não é possível prever com exatidão. Mas se os fios vão ou não cair, o médico pode prever. Nesse caso, quem quiser fazer uma prótese capilar com os próprios cabelos deve raspar ou cortar os fios antes de o efeito colateral se manifestar. Depois disso, o cabelo pode ficar sem volume o suficiente para confeccionar a peruca.

Dieta equilibrada ajuda na formação do cabelo.

Verdade. “O cabelo volta a crescer de 3 a 6 meses após o fim da quimioterapia. A dieta equilibrada em proteínas e minerais ajuda na formação da queratina, principal competente do fio de cabelo”, conclui o dermatologista. Essa é uma boa notícia para todas as mulheres que sofrem de câncer, de qualquer tipo. O cabelo volta a crescer. O medo de perder os fios é legítimo, sim. Ninguém pode julgá-la por isso. Mas tenha esperança de que eles vão voltar a ficar saudáveis. E você também.

Sugestão de produtos: Shampoo Suave Lavanda E Bambu e Condicionador Suave Lavanda E Bambu, indicados para cabelos normais. E Creme Leave-in Nexxus Emergencée, que ajuda a recuperar cabelos danificados.

Salvar

Continuar lendo