Alopécia feminina: saiba as causas e como tratar

All Things Hair | 26 abril 2016

Queda de cabelo feminino tem cura e é mais comum do que você imagina. Descubra os diversos motivos que podem levar o problema a aparecer e como evitá-lo

Queda de cabelo assusta, é verdade. Mas antes de se desesperar, saiba que o problema tem solução – só é preciso identificar a causa e agir rápido. A alopécia feminina pode acontecer por diversos fatores, como estresse, dietas desequilibradas, uso excessivo de químicas nos fios e até por causa de penteados muito apertados. Então, como saber a hora de procurar um especialista?

Quando a queda de cabelo é maior que 100 fios diários – situação que configura a alopécia. Ou também caso você tenha percebido que os fios estão mais ralos, finos e até perderam cor. Uma dica para identificar a alopécia feminina é olhar seu travesseiro de manhã. Encontrou mais do que seis fios? Melhor procurar a ajuda de um profissional.

Alopécia feminina: causas

Não é impressão sua, os cabelos caem mais no outono. Isso porque a raiz fica mais enfraquecida por causa da ausência de sol. Mas, se você percebe que os seus fios já caem há algum tempo, independentemente da estação, melhor prestar atenção: o motivo pode ser outro. Listamos aqui os principais fatores que levam à queda de cabelo, mas lembre-se: só um especialista pode realmente dizer qual é o seu problema e o tratamento mais adequado ao seu caso.

Alterações hormonais

As alterações hormonais são a maior causa de alopécia feminina e podem ter diversos motivos. Ela é, por exemplo, um dos sintomas do hipotireoidismo e hipertireoidismo, tipos de disfunções da tireóide. Outro problema hormonal é o excesso de testosterona, que pode causar calvície feminina. Nesse tipo de queda, denominado queda hereditária, acontece o afinamento progressivo dos fios, que aos poucos se desprendem do couro cabeludo. Pior: há um atrofiamento dos bulbos capilares e os fios não nascem mais. Uma característica desse tipo de queda é que, nas mulheres, a ausência de fios está localizada principalmente no topo da cabeça.

Água quente

A água quente remove a oleosidade natural do couro cabeludo, causando irritações e seborreia na região. Por isso, prefira tomar banhos rápidos e com água morna ou fria.

Excesso de química

O uso exagerado de tintura e outros procedimentos químicos, como alisamentos e permanentes, deixa os fios fragilizados. Por isso, além de tomar cuidado com a frequência de coloração dos cabelos, não deixe de hidratá-los profundamente toda semana para evitar que os fios se quebrem ou caiam. Também é importante respeitar o tipo de química que já existe no seu cabelo antes de se aventurar em um novo procedimento.

Estresse emocional

Momentos de estresse contínuo aumentam no organismo as taxas de cortisol, hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais, que prejudicam a fixação dos fios no couro cabeludo. Resultado: fios mais propensos a cair. Melhor relaxar!

Má alimentação

Nada de fazer dietas restritivas demais! Uma alimentação pobre em proteína, ferro e zinco influencia no desenvolvimento dos fios (ou melhor, na falta dele) e pode causar a alopécia.

Gravidez

A queda de cabelo na gravidez costuma ser perceptível após o terceiro mês, quando a gestante pode perceber que até 200 fios caem por dia! Nesse caso, a queda de cabelo é comum e não há o que fazer, pois, em geral, o ciclo de crescimento do fio volta ao normal após o término da gestação. É só esperar.

Remédios

Começou a tomar um remédio novo e percebeu que a quantidade de fios no travesseiro aumentou? Então saiba que muitos medicamentos podem provocar a queda do cabelo. É o caso de antidepressivos, remédios para emagrecimento e tratamentos para a acne. Se estiver tomando algum desses, melhor avisar o seu médico.

Rabo de cavalo muito apertado

Já ouviu falar em alopécia por tração? O termo nada mais é do que a queda dos fios causada por tração, uma força que, literalmente, puxa os fios. As causas podem estar relacionadas a penteados como rabo de cavalo muito presos, tranças rente ao couro cabeludo e até o costume de puxar os fios forte demais na hora de fazer a escova. Ou seja: pegue na leve na força e evite maltratar os seus fios.

No consultório: como a alopécia feminina é identificada

Para detectar as causas da perda anormal de cabelo, o médico irá solicitar exames de sangue para a análise de hormônios da hipófise, da tireóide, da supra-renal e dos ovários. Também poderá ser feita a análise do metabolismo de acordo com as reservas de ferro, zinco, cobre e vitaminas. O especialista ainda pode solicitar uma biópsia do couro cabeludo. Por causa dos diferentes fatores que causam a queda capilar, o problema deve ser tratado caso a caso por um profissional.

O que fazer para a queda de cabelo

O médico dermatologista é o responsável por avaliar a causa da queda de cabelo e poderá indicar, ou não, o tratamento. Entre as possibilidades, estão a eletroestimulação do couro cabeludo com microcorrentes, que ajuda a retardar a calvície em mulheres. Também podem ser receitados shampoos de combate à queda, medicamentos fitoterápicos, medicamentos de uso oral ou tópico e complementos vitamínicos. Fica a dica: quanto antes você procurar um médico, maiores são as chances de reverter esse quadro.

Dicas de produtos

Fique atenta! A perda de cabelos também pode estar relacionada à caspa. Se for esse o diagnóstico, procure usar shampoos e condicionadores anticaspa, que se preocupam não apenas em eliminar os pontinhos brancos, mas também com a saúde do couro cabeludo. Para essa situação, indicamos o Shampoo Clear Limpa & Purifica e o Shampoo Clear Alívio Da Coceira. Você pode experimentar o Condicionador Clear Hidratação Intensa.