5 dicas para crianças cacheadas e crespas aprenderem a amar e valorizar os fios!

Ajudar a construir a autoestima dos pequenos é essencial para que eles cresçam confiantes e orgulhosos de quem eles são.

O Brasil ainda é um país onde o racismo é muito presente e, infelizmente, não é um problema só de adultos. Crianças cacheadas e crespas muitas vezes acham que seus cabelos não são bonitos e desde cedo recorrem a alisamentos para se encaixar em um padrão estético que não as representam.

Por isso, ensinar crianças crespas e cacheadas a valorizarem seus fios diariamente é essencial. “Retratar cabelos crespos e cacheados como bonitos e estilosos é extremamente necessário para abrir o caminho da aceitação. A representatividade é responsável por fazer com que as crianças consigam se enxergar em todos os lugares sem perder sua textura natural”, fala a psicóloga Noemi Machado.

Para ajudar nessa tarefa de construir de forma positiva a autoestima dessas crianças, a profissional dá dicas simples de como isso pode ser feito. A influenciadora Gabi Oliveira também dá a opinião.

 

1. Lembrá-las constantemente de que elas são lindas

A primeira dica é lembrar essas crianças do quanto elas são lindas e como o cabelo faz parte dessa beleza. De acordo com a psicóloga, os pais têm papel fundamental nisso. “Quem melhor para fazer isso do que os pais, que servem como referência e inspiração? Eles têm um papel de suma importância na aceitação da textura natural dos cabelos de seus filhos e devem afirmar sempre o amor e incentivá-los a cultivar as madeixas naturais”, aconselha.

Gabi também acredita que elogiar sempre que possível é importante para construir a autoestima da criança de cabelo crespo e cacheado. “Vale também deixar que a criança coloque as vontades dela para o cabelo, se ela gosta dele solto ou com determinados penteados, é importante elogiar. Esse é um esforço necessário para construir essa autoestima”,

2. Apostar na representatividade

Ver-se representada em em pessoas importantes, como tantas que vemos por aí hoje, como a cantora Iza, a influenciadora Camilla de Lucas, e a própria Gabi Oliveira, é essencial para que as crianças aprendam a ver beleza nos seus fios cacheados e crespos através de referências que se pareçam com elas. “Referência positiva intelectual, estética. Mostrar mulheres e homens de cabelos parecidos ao da sua criança, cientistas médicos… trazer essas referências para as crianças vai construindo uma imagem positiva delas sobre si. Elas tendem a fazer projeções de acordo com o que veem na mídia de massa. Dessa forma, entendem que podem estar no mesmo lugar daquela pessoa e inclusive serem enxergadas como uma pessoa bonita e com características bonitas, com o cabelo bonito. Assim, eu acho que essas crianças podem se olhar de forma melhor”, explica Gabi.

A hora da brincadeira também pode ajudar nesse momento. “Investir também em brinquedos com representatividade faz com que as crianças se vejam com referências positivas de seus cabelos”, completa a psicóloga.

3. Contar histórias inspiradoras

A maioria das histórias de princesas mais conhecidas não representam fisicamente meninas cacheadas e crespas. Por isso, é importante que elas conheçam realezas que se pareçam com elas -, além de fazer com que se sintam bonitas e representadas, ainda é ótimo para a imaginação. “Estimular a autoestima das crianças através de histórias de reis e rainhas cacheadas e crespas é importantíssimo, isso gera uma identificação saudável com os pequeninos”, conta Noemi.

Próximo

 

4. Ensinar como cuidar dos cabelos

Nada como saber como cuidar do fio para ver beleza desde sempre. “Além de reforçar a beleza dos fios, é fundamental ensinar as crianças a cuidar de seus cabelos. Invista em uma linha específica para o tipo de cabelo dela e que tenha uma embalagem lúdica para desmistificar que cabelos crespos e cacheados são trabalhosos. As crianças crespas e cacheadas precisam ter contato com seus cabelos desde pequeninhas para criarem amor e confiança, e seus pais precisam ensinar e mostrar que seus cabelos são sinônimo de realeza”, indica Noemi.

Gabi completa: “É muito importante os cuidadores mostrarem o carinho deles pelo próprio cabelo e pela própria estética para aquela criança se sentir estimulada também a ter carinho pela sua própria estética”.

5. Manter um canal de comunicação aberto

A gente sabe que situações de bullying e racismo podem acontecer com as crianças na escola, por exemplo, e é preciso estar preparado para isso. “Precisa existir uma abertura para que a criança se sinta confortável em relatar situações que ela tenha passado para que os pais consigam fazer um trabalho mais específico de fortalecimento da autoestima. Quando eu penso no ambiente escolar, eu acho que o mais importante é a criança ter abertura pra denunciar situações de bullying ou de racismo que elas estão enfrentando”, ressalta a influenciadora.

Seda e Gabi Oliveira para crianças

Se os seus filhos têm mais de 3 anos, então temos uma linha novinha que pode ser usada por eles! Feita especialmente para cabelos crespos e bem cacheados, a linha Crespo Force by Gabi Oliveira conta com shampoo, condicionador e creme de pentear para ajudar a deixar os fios hidratados e com aquele volume incrível!

“Quando eu olho para a Gabi de 4 anos, eu percebo que faltavam produtos voltados pro cabelo crespo infantil e também o ensinamento de como cuidar dele. Então, eu levei essa ideia para Seda, porque é um produto que eu gostaria de usar o dia que eu fosse mãe. Eu fiquei muito feliz, meu público recebeu de forma muito positiva essa notícia, essa possibilidade de o uso poder ser feito em crianças”, finaliza.

Conheça os produtos:

Próximo