Colorir o cabelo na gravidez: pode ou não pode?

Quer continuar a colorir o cabelo na gravidez? Descubra o que é permitido e o que é vetado no período de gestação.

Além de ser um momento de descobertas e da preparação para receber o bebê, a gestação é um período de intensos cuidados. Claro que o bem-estar e a saúde da mãe e do feto são prioridades absolutas. Mas como fica a rotina de beleza, nessa fase? São comuns os questionamentos sobre colorir o cabelo na gravidez: pode, ou não pode? Na verdade, não existe só uma resposta simples e monossilábica para a pergunta. Em vez de um definitivo “sim” ou “não”, depende do “quando” e do “como”. Para tomar a decisão mais segura, informe-se (fizemos um resumo para você!) e conte sempre com seu médico para tirar qualquer dúvida.

É seguro colorir o cabelo na gravidez?

Dra. Bel Takemoto, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, explica que as evidências científicas são limitadas para responder de forma definitiva se é ou não seguro colorir os fios durante o período de gestação. “Estudos em grávidas sempre envolvem pelo menos duas vidas, por isso, até o momento não temos um resultado de segurança de tintura em gestantes”, explica.

Contudo, há consenso entre os especialistas de que nos primeiros três meses de gravidez qualquer tentativa de pintar os cabelos deve ser descartada. “O primeiro trimestre é o período de maior risco pela embriogênese (formação do bebê)”, alerta Bel Takemoto. Ao descobrir (ou desconfiar) de que está grávida, o ideal é procurar um médico imediatamente. Quanto antes o pré-natal for iniciado, maior a chance de uma gravidez saudável, tranquila e com final feliz.

As colorações de cabelo não são todas iguais. Aquelas que têm em sua fórmula amômia, nitro-p-fenilenodiamina, nitro-o-fenilenodiamina e sulfato de 2,5-toluenodiamina podem causar problemas mais ou menos graves, de erupções na pele da mãe, até má formação fetal. “Existem descrições desde teratogenicidade, tumores benignos ou malígnos, como reações alérgicas com edema facial e coceira que podem ser porta de entrada para uma infecção secundária”, explica a dermatologista.

Mulher morena grávida olha a janela, ilustrando matéria sobre como colorir o cabelo na gravidez
O ideal é consultar o médico, antes de decidir o tipo de substância segura para você e o seu bebê.

Quando e como gestante pode colorir o cabelo?

Passado o terceiro mês, com a ajuda do ginecologista ou do dermatologista é possível buscar produtos seguros para colorir o cabelo na gravidez. Como cada organismo tem suas especificidades, nem todas as futuras mães poderão passar pelo procedimento estético. Aceite sempre as recomendações médicas!

Em geral, fica liberado o uso de tonalizantes, que não tenham componentes prejudiciais à saúde materna e fatal, em sua fórmula. Mesmo com esses produtos, o ideal é poupar a raiz dos cabelos, durante a aplicação. Substâncias que tocam o couro cabeludo podem ser absorvidas pela corrente sanguínea. Já evitando essa região, colore-se apenas os fios, mudando o visual de uma forma mais cuidado cuidadosa.  “Mas ainda se discute se com técnicas como as luzes,  mesmo longe do couro cabeludo, não haveria interface com ele”, relata a Dra. Bel Takemoto.

Na hora de aplicar o produto, é importante recorrer a um colorista de sua total confiança, que se dedique apenas ao seu procedimento, e não a vários ao mesmo tempo. Essa atenção redobrada é essencial, no caso de grávidas. E atenção: fórmulas com amônia devem ser descartadas completamente nessa fase da vida. A regra de evitar a raiz do cabelo não serve para aplicação de produtos comprovadamente nocivos ao bebê.

Sugestão de produtos 

A variação hormonal da gestação é benéfica para os fios, que costumam ficar mais brilhosos e fortes. Potencialize esse efeito com produtos nutritivos e hidratantes, como: