Cabelo na medicina chinesa: sobre queda de cabelo, tratamentos e mais

Saiba quais são os diferentes recados que os fios de cabelo dão sobre o corpo, de acordo com essa ciência oriental.

O cabelo na medicina chinesa tem um papel importante. Ele serve para dar dicas preciosas sobre o funcionamento do corpo, com conexão especial com o sangue e os rins. Mais conhecida no Ocidente graças à acupuntura, a medicina chinesa vai além dessa prática. É um saber milenar cuja eficiência atrai pacientes do mundo todo.

No contato com os pacientes, a medicina chinesa e a ocidental se assemelham, ao tratar a pessoa de modo global. “As duas buscam ter uma visão integral observando como cada parte se relaciona com o todo. Mas se diferenciam quando se trata da linguagem”, explica Reginaldo Filho, professor associado da Universidade de Medicina Chinesa de ChengDu, na China.

Na medicina chinesa, os dois principais sistemas são Yin e Yang (duas energias opostas) e os Cinco Movimentos (ligados aos cinco elementos: madeira, fogo, terra, metal e água). “Comumente, dizem que se baseia no conceito de Qi, conhecido como Energia, mas vai além disso”, explica Reginaldo. Os fundamentos dessa ciência são muito complexos para serem completamente explicados aqui. Mas o especialista nos ajudou a entender como o é visto o cabelo na medicina chinesa.

Mulher de cabelo curto e ondulado usa blusa branca e auzul
Para a medicina chinesa, o cabelo tem relação estreita com o sangue e os rins.

Cabelo na medicina chinesa: conexão com o rim

Antes de mais nada, é importante saber que, na medicina chinesa, o rim controla o cabelo. “Isso se refere apenas aos cabelos da cabeça, e não aos demais fios do corpo. A perda ou ganho de cabelos corresponde ao estado do rim”, informa o professor. Por exemplo, a queda de cabelos associada ao envelhecimento tem a ver com o declínio ou debilidade desse órgão.Mas o especialista faz uma ressalva: “Estamos falando em relação aos conceitos da medicina chinesa, não implica que o paciente tenha, por exemplo, alterações nas funções hepáticas de acordo com a medicina ocidental”.

Cabelo na medicina chinesa: conexão com o sangue

Outra abordagem para os cabelos é que o sangue é responsável pela nutrição dos fios. “Na prática clínica, cabelos sem vida, caindo ou prematuramente cinzas são todos sinais comuns de deficiências ligadas ao sangue”, explica Rogério.

Cabelos brancos

“Algumas doenças, como a calvície, são causadas pela liberação vigorosa de Yang Qi (mais ativo, funcional e quente) através da cabeça. É por isso que se diz que pessoas carecas são cheias de vitalidade”, explica. Já os cabelos brancos são causados pela diminuição do Yang Qi do Portão da Vitalidade (calor interior, que promove as funções e atividades corporais) naqueles que tendem a ter uma deficiência dos fluidos do rim.

Alterações emocionais

Sendo assim, alterações e flutuações emocionais também podem se manifestar nos cabelos, como por exemplo, a alopecia areata (condição caracterizada pela perda de cabelos ou de pelos em áreas arredondadas ou ovais do couro cabeludo ou de outras partes do corpo, que aparece em homens e mulheres). “A medicina chinesa descreve uma importante associação entre o sangue e a nossa mente, de modo que estresse intenso, prolongado ou abrupto pode afetar nosso emocional e se manifestar como queda de cabelos, dada a relação entre o sangue e os cabelos”, relaciona Reginaldo.

Queda e tratamentos

Algumas ervas são tradicionalmente utilizadas para tratar os cabelos, destacadamente para melhorar sua condição e fortalecer com destaque para o Fallopia multiflor. Além desse exemplo, substâncias que possuem indicações de fortalecer o sangue e também de nutrir e tonificar as funções do rim pode ser empregado em pacientes que apresentam queda ou enfraquecimento dos cabelos.

Cabelo na medicina chinesa: outras relações

Outras doenças ou alterações que levam a complicações relacionadas aos cabelos, como caspas e alergias, por exemplo, são avaliadas caso a caso. A prescrição de tratamento dependerá da avaliação global do paciente. “As combinações de ervas e substâncias, na Medicina Chinesa, se dão à partir das alterações individuais e o que pode ser indicado para uma pessoa pode não ser a melhor opção para outra”, afirma o expert.

Medicina chinesa faz o cabelo crescer?

“Sim, de modo geral, é possível dizer que a Medicina Chinesa pode auxiliar no crescimento dos cabelos, principalmente nos casos em que esse crescimento esteja prejudicado por uma má nutrição ou outros desequilíbrios identificados por um profissional da área. Os tratamentos são sempre feitos individualmente. E, no caso de calvície por razões hereditárias, a cura pela medicina chinesa não é possível.

Sugestão de produtos 

Shampoo Dove Ultra Cachos e Condicionador Dove Ultra Cachos, com fórmula que nutre os cachos de dentro para fora. Creme para pentear Seda Recarga Natural Força Antiquebra, que ajuda a tratar  a modelar os fios.