Como saber meu tipo de cabelo? Aprenda a identificar e cuidar dele

Se você ainda não sabe qual é o seu tipo de cabelo, experts ensinam a classificá-lo em seco, oleoso, misto, normal e com química. De quebra, entregam dicas preciosas para mantê-lo saudável todos os dias

“Como saber meu tipo de cabelo?” é uma pergunta que você não tem exatamente uma resposta? A gente ajuda nessa! Afinal, conhecer o tipo de fio é fundamental para chegar nas prateleiras da perfumaria – ou até mesmo no salão – preparado para escolher os produtos e tratamentos que entregam exatamente o que seu cabelo precisa. E, por mais que a preocupação da ala masculina com os cuidados capilares venha crescendo (e muito!), ainda existem muitas dúvidas e certa dificuldade para identificar e saber qual é o tipo de cabelo de cada um.

De cara, muitos homens simplificam e definem seu cabelo como “normal”, sem levar em consideração algumas particularidades que podem mudar o rumo da história e revelar um cabelo oleoso, seco, misto…

Pensando nisso, conversamos com Alessandra Rebouças, coordenadora de Desenvolvimento de Produtos da Unilever e Gabriela Capareli, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, para desmistificar e entregar tudo o que você precisa saber sobre os tipos de cabelo masculino, suas características e os melhores jeitos de cuidar de cada um deles.

Infográfico explica os tipos de cabelo masculino: oleoso, seco, misto, normal e com química

Cabelo seco

Sua camada externa é porosa, resultando em um cabelo opaco, sem brilho, pouco macio e com frizz. Isso acontece porque, por fatores genéticos, as glândulas sebáceas de alguns homens produzem menos óleo que o necessário para garantir a lubrificação dos fios, o que os torna naturalmente secos. Além disso, cabelos secos podem ter menor quantidade de água dentro do fio.

Para amenizar esses efeitos, a dica é hidratar, hidratar e hidratar! Procure shampoos e máscaras com esse benefício para devolver a umidade do fio, cremes para pentear mais leves que não pesam e faça visitas frequentes ao salão para potencializar os cuidados.

Vale também evitar banhos muito quentes, que ressecam ainda mais o cabelo. O uso constante de secador e chapinha, que emitem calor, também rouba a água dos fios.

Caso vá fazer algum procedimento químico, o truque esperto de Alessandra Rebouças é apostar em pré-tratamentos que preparem o território: “Espalhe um óleo capilar no comprimento, deixe-o agir e lave o cabelo para enxaguar. O cabelo fica mais lubrificado para receber a química”, indica.

Cabelo oleoso

Quem tem esse tipo de cabelo sabe: basta passar a mão uma vez para senti-lo pegajoso mesmo poucas horas depois de lavar. Ao longo do dia, o cabelo oleoso ganha um aspecto pesado e sem volume, além do brilho em excesso ficar bastante evidente.

Em geral, os homens são mais propensos a ter cabelos oleosos do que as mulheres, uma vez que costumam produzir mais sebo no couro cabeludo.

“Estímulos externos e hormonais podem piorar a situação, como o uso de anabolizantes, que fazem as glândulas sebáceas secretarem mais, levando ao aumento da oleosidade”, completa Gabriela Capareli.

Consumir alimentos muito gordurosos pode ter o mesmo efeito – portanto, é importante ficar de olho nas escolhas na hora de montar o prato para não potencializar as características do cabelo oleoso.

No dia a dia, as lavagens devem ser frequentes e feitas com shampoos adstringentes e desentoxicantes que retirem a oleosidade do cabelo. De uma a duas vezes por semana, opte por uma versão de limpeza profunda. E, se faltou tempo ou bateu aquela preguiça de lavar os fios, o shampoo seco é uma medida emergencial para disfarçar o aspecto oleoso.

Mas, antes de encaixar definitivamente seu cabelo nessa categoria, observe se os seus fios são naturalmente oleosos – ou seja, se apresentam as características citadas repetidas vezes durante um longo período – ou se estão apenas com o aspecto oleoso.

“Usar produtos muito hidratantes constantemente e sem necessidade pode dar essa aparência”, alerta Alessandra Rebouças. De qualquer forma, sempre vale bater um papo com o cabeleireiro de sua confiança para entender as particularidades do seu cabelo.

Modelo com cabelos ruivos, cacheados e médios
Se os seus cabelos são oleosos, faça dos produtos adstringentes e desentoxicantes seus melhores amigos.

Cabelo misto

É uma mistura dos dois últimos tipos de cabelo que mencionamos acima. As principais características do cabelo misto são raiz oleosa e pontas secas e desidratadas. “Isso acontece pela má distribuição da oleosidade ao longo do fio”, justifica Alessandra Rebouças.

Cabelos longos e/ou encaracolados, por exemplo, são fortes candidatos a serem mistos. O comprimento maior e o formato espiral dos cachos dificultam a chegada do sebo (lubrificação natural) até a extremidade do fio, que acaba ficando com as pontas ressecadas.

Fatores externos como poluição, uso de produtos inadequados e procedimentos químicos constantes também contribuem para um cabelo de raiz oleosa e pontas secas, de acordo com Gabriela Capareli.

E como, afinal, cuidar de cabelos com características tão opostas? Essa dúvida é mais do que legítima: equilibrar oleosidade e ressecamento é quase como ter que cobrar escanteio e correr para cabecear, a gente sabe!

Bem, o melhor, em casos de cabelos mistos, é lavá-los em dias alternados, mas de um jeito um pouco diferente: começando pelo condicionador nas pontas para, só depois, lavar o comprimento com shampoo, que também deve ter uma certa adstringência. “Como é praticamente inevitável que a espuma do shampoo escorra pelos fios, as pontas já ficam mais fortalecidas para não ressecarem”, esclarece Alessandra Rebouças.

Cabelo normal

É o mais fácil de cuidar! O cabelo normal geralmente não passou por nenhum procedimento químico e produz sebo na dose certa para lubrificar todo o comprimento dos fios. Por não acumular oleosidade, tem a raiz mais solta e ostenta brilho e maciez na medida, sendo bem fácil de desembaraçar no dia a dia.

Na rotina de cuidados, os cabelos normais não precisam de lavagens tão frequentes e pedem shampoos mais neutros, com fórmulas mais simples e suaves. A hidratação quinzenal, no entanto, não deve ficar de lado para você não colocar tudo a perder e ter fios ressecados como saldo final.

Para não desequilibrar a saúde desse cabelo, vale adotar precauções básicas, como não usar abusar do secador e chapinha – e, quando for usar, não abrir mão do protetor térmico. “Também é importante protegê-lo de agentes externos, como sol e vento, água do mar e piscina”, aconselha Gabriela Capareli.

Homem com cabelos pretos e corte undercut
O cabelo normal é mais fácil de cuidar, mas precisa ser hidratado constantemente para não ressecar.

Cabelo com química

Procedimentos como escova progressiva, alisamento e descoloração levam embora a água e os nutrientes do cabelo, tornando-o bastante danificado e com a fibra capilar enfraquecida. O resultado? Fios quebradiços, ásperos, difíceis de pentear (principalmente quando estão molhados) e com pontas duplas.

E é por esse motivo que cabelos com química têm sede de cuidados especiais. “O ideal é investir em linhas de produtos específicos para esse tipo de fio e ter sempre no seu arsenal uma boa máscara à base de vitaminas e aminoácidos para repor o que foi perdido”, indica Gabriela Capareli. No salão, cauterizações e reconstruções cumprem bem a função de devolver a massa capilar.

Outro ponto de atenção, destacado por Alessandra Rebouças, é o couro cabeludo. “Os agentes químicos, muitas vezes, acabam entrando em contato com a pele dessa região, que pode ficar danificada”, alerta. Uma boa alternativa para prevenir essa chateação é apostar em cosméticos que tratam especificamente o couro cabeludo – existem cada vez mais opções de produtos dentro dessa categoria e encontrá-los nas lojas é cada vez mais fácil!

Sugestão de produtos

Para manter o cabelo com aspecto saudável, experimente o Shampoo Dove Men+Care 2 em 1 Força Resistente. Formulado com cafeína e cálcio, o produto fortalece os fios enquanto melhora a circulação do couro cabeludo. Já para amenizar o frizz no dia a dia, o Creme de Pentear TRESemmé Antifrizz é uma boa pedida, já que alinha os fios na medida certa, sem pesar – além de contar com filtro UV, que protege a cabeleira dos danos causados pelo sol.